Sociedade

Covid-19: Número de infectados no país sobe para 88

Xavier António

Cinco dias depois sem infecção, ontem duas pessoas testaram positivo de transmissão local. Destes uma criança de 11 anos, associado ao “Caso 26”, no Cassenda, e um adolescente de 14 anos do “Contacto 31”, da cerca sanitária do Hoje-ya-Henda, no Cazenga, elevando para 88 o número de contaminado pela Covid-19 no país.

Secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.
Fotografia: DR

O facto foi anunciado, ontemem Luanda, pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, esclarecendo que as pessoas que testaram positivo se encontram em quarentena institucional e recebem tratamento nas unidades hospitalares de referência. Ainda ontem, foram, também, recuperados três pacientes, membros da mesma família, (pai,38, mãe, 36 e filho de um ano), residentes no Condomínio Infinity.

Franco Mufinda, que falava na habitual conferência de imprensa de actualização dos dados da Covid-19, informou que o número de testes colhidos pelo laboratório subiu para 11.285, 88 dos quais positivos, 10.343 negativos e 854 amostras estão em processamento.  A clínica Luanda Medical Center, depois de ser acreditada pelo Ministério da Saúde, processou 147 amostras, todas foram negativas, unidade que se junta às já existentes.

Na quarentena institucional, estão 1.060 pessoas, 1.160 dos quais sob vigilância epidemiológica e 456 casos suspeitos investigados. Os infectados de transmissão local subiu para 59. Ontem foram dadas 41 altas, sendo 34 em Luanda, quatro no Cuando Cubango, duas em Cabinda e uma no Huambo.
O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 30 chamadas todas relacionadas com pedidos de informações sobre à pandemia da Covid-19.

O secretário de Estado destacou a inauguração, pelo Presidente da República, do centro de tratamento da Covid-19, vinculado à Clínica Girassol, no município de Viana. A unidade hospitalar está aberta e preparada para acolher qualquer pessoa acometida pela pandemia. Franco Mufinda disse que o projecto é, também, sustentado pelo Ministério da Saúde, sobretudo com material de biossegurança, formação, assim como na abordagem metodológica. “A unidade sanitária é um orgulho para o país e expressa a capacidade institucional a nível do sector”.

A unidade de tratamento dispõe de serviços integrados associado à uma abordagem multifacética do paciente infectado. Está também equipado com serviço de hemodiálise, radiologia funcional com Raio X portátil, laboratório e um robô que pode interagir “face to face” com os pacientes, afim de reduzir, cada vez mais, o risco de contaminação dos profissionais de saúde.

“Na fase pós Covid-19, o que se espera é que a unidade de tratamento se converta numa clínica que possa garantir o atendimento à população residente naquela zona”, precisou Franco Mufinda.  O governante acredita que a recuperação dos doentes deveu-se à nova abordagem psico-social com os pacientes assintomáticos que estavam a ser seguidos no Hospital da Barra do Cuanza. Esclareceu ainda que, posteriormente, os enfermos foram transferidos para a unidade de tratamento do Calumbo I, pelo facto de o ambiente daquele espaço ser favorável a recuperação dos pacientes.

Acções nas províncias

Na província de Cabinda, as autoridades sanitárias detectaram um caso suspeito da Covid-19, além da desinfecção dos mercados de Cabassango, São Pedro, Alto das Rolas e três quartos de quarentena institucional.  No Cuanza-Norte, houve a desinfecção do Comando Provincial da Polícia e foi investigado um caso suspeito do novo coronavírus, no município do Cazengo que, posteriormente, foi descartado.

Já no Cunene, as autoridades sanitárias realizaram um acto de sensibilização radiofónica sobre as medidas de prevenção da Covid-19, no município do Cuanhama. Na Huíla realizou-se uma acção de capacitação dos técnicos de saúde sobre nutrição, no âmbito das medidas de prevenção sobre à pandemia, no município do Lubango. No Uíge fez-se a desinfecção do Centro de quarentena Provincial, no município com o mesmo nome.

Tempo

Multimédia