Sociedade

Covid-19: Quatro trabalhadores de apoio às petrolíferas testam positivo

Alberto Pegado e Xavier António

Cerca de 800 trabalhadores da Base Logística de Apoio às Empresas petrolíferas do Kwanda no Soyo, na província do Zaire, vão ser submetidos ao teste da Covid-19, depois de serem detectados quatro casos positivos.

Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro

A informação foi avançada, ontem, em Luanda, pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, que recordou que os infectados já estão isolados e que, neste momento, estão em curso as medidas de Saúde Pública.

Disse que o Governo do Zaire, a Comissão de Prevenção e Combate à Covid-19 e o Gabinete Provincial de Saúde trabalham para apurar os casos, tal como as autoridades sanitárias do Projecto Angola LNG.
No habitual balanço diário sobre a Covod-19, Franco Mufinda, disse que, face à situação, uma equipa de Resposta Rápida desloca-se, hoje, à província do Zaire. Explicou que a ideia é supervisionar as medidas e o reforço das capacidades locais, sobretudo a formação sobre a vigilância epidemiológica, laboratorial e medidas de biossegurança.

No total, ontem foram detectadas 39 infecções, destas quatro no Zaire, um diagnosticado na província do Moxico, no município do Luena. Trata-se de um caso importado de Luanda, de um homem de 37 anos.
Franco Mufinda esclareceu que o mesmo cidadão esteve em quarentena institucional naquela cidade, há sete dias, e depois ter sido enviada a colheita para análise, na base de Biologia Molecular, por RT-PCR, o desfecho deu positivo, o que revela ser o primeiro infectado daquela província.

No leque dos 39 novos casos positivos, continuou, foram detectados 28, em Luanda, sendo 28 homens e 11 mulheres. Informou que, entre as localidades mais afectadas, constam o Rangel, Ingombotas, Cacuaco, Talatona e Maianga. Também foram recuperados 38 pacientes.
O governante anunciou, também, a morte de uma senhora de 62 anos, que se encontrava internada no Hospital Militar, em Luanda, em estado crítico. A mesma teve complicações de tensão arterial, tendo, posteriormente, desenvolvido um quadro respiratório agudo grave, com evolução súbita. “Foi testada e acusou positivo para a Covid-19”.

Passageiros de Lisboa testaram negativo

O secretário de Estado informou que, ainda ontem, tiveram altas na quarentena aos 279 passageiros que regressaram ao país provenientes de Lisboa, Portugal, na última semana. Da testagem realizada, uma pessoa mantém-se em quarentena por ser um caso reactivo IGM e ficará isolada.

Na quarentena a nível nacional, foram entregues 255, sendo 252 em Luanda e no Bié, Malanje, Lunda-Norte cada com uma. Até ontem, às autoridades controlavam 744 pessoas.
Desde o início da pandemia, o país tem um total de 1.148 infectados, dos quais 52 óbitos, 437 recuperados e 659 pacientes activos. Nas últimas 24, foram processadas 398 amostras, com 39 positivas e 359 negativas. Até à data, foram processadas 64.109, sendo 1.148 positivas e 62.961 negativas.

Ainda ontem, foram realizados 349 testes rápidos serológicos, destes 29 foram reactivos, o que significa que 8,3 em cada 100 pessoas rastreadas estiveram expostas ao vírus que causa a doença da Covid-19.
O total de testes rápidos serológicos, até ao momento, é de 36.736, dos quais 2.144 foram reactivos, o que implica que 5,8 em cada 100 pessoas rastreadas estiveram expostas ao vírus.

Acções nas províncias

Das actividades realizadas nas províncias, destacam-se em Benguela a desinfecção do centro Desportivo e Recreativo do Cubal. No Cuanza-Norte houve colheita e envio ao Instituto Nacional de Investigação de Saúde (INIS) de 133 amostras de casos suspeitos do Município de Lucala, Ngonguembo, Banga e Cambambe.

Na Lunda-Norte houve a desinfecção do aeroporto e do centro de quarentena institucional, do município do Dundo. Em Malange, realizaram-se palestras aos utentes de ATM's, mercados informais e do complexo de frescos sobre as medidas de biossegurança, no município sede da província.
Já no Uíge, também foram realizadas palestras sobre as medidas de biossegurança, no municípios sede e no Quitexe.

Tempo

Multimédia