Sociedade

Crimes de homicídio entre os mais comuns

Manuel Fontoura | Ndalatando

Os crimes contra a propriedade, ofensas corporais, homicídios e infracções decorrentes da condução de veículos são os mais comuns no Cuanza-Norte, afirmou ontem, em Ndalatando, o subprocurador-geral da República na província, Domingos Joaquim.

Cidade de Ndalatando regista poucos crimes graças aos esforços da Polícia
Fotografia: Edições Novembro

O magistrado afirmou que, nos últimos seis meses, houve poucos crimes violentos, particularmente os praticados com recurso a armas de fogo e branca, tendo destacado o trabalho desenvolvidos pelos órgãos compententes.
O subprocurador disse não se ter registado durante o período em referência casos de excessos de prisão preventiva.  Actualmente, tem 388 reclusos internados na unidade prisional de Ndalatando, sendo 309 condenados e 79 detidos. De acordo com o subprocurador, o Ministério Público despachou 630 processos crimes de natureza diversa.
A Procuradoria-Geral da República  no Cuanza-Norte está  implantada em quatro dos 10 municípios da província, concretamente  Golungo-Alto, Cambambe, Ambaca e Cazengo. 
Os serviços  da Procuradoria  são assegurados por 16 magistrados, dentre os quais, cinco mulheres. Os funcionários administrativos são no total 47, sendo 25 técnicos de justiça e 22 de carreira geral da função pública.

Tempo

Multimédia