Sociedade

Criminalidade aumenta na cidade de Menongue

Lourenço Bule | Menongue

O índice de criminalidade na província tem estado a aumentar significativamente, sobretudo nos municípios do Cuito Cuanavale, Cuchi, Dirico, Nancova e, com maior incidência, em Menongue, nomeadamente nos bairros Paz, Comboio, Boa Esperança, Boa Vida, Castilho e Kalupassa, informou ontem Paulo Dias de Novais, porta-voz do Serviço de Investigação Criminal (SIC) no Cuando Cubango.

Autoridades policiais da província tomam medidas de combate ao crime organizado
Fotografia: Lourenço Bule | Edições Novembro | Cuando Cubango

O SIC no Cuando Cubango desmantelou no último fim de semana, na cidade de Menongue, um grupo de burladores composto por oito cidadãos nacionais, dos quais quatro já se encontram a contas com a justiça, informou o porta-voz da  instituição.
Paulo Dias de Novais explicou que o grupo de burladores desenvolvia as suas acções via telefone. Ofereciam garantia de emprego no aparelho do Estado e noutras instituições privadas e solicitavam às vítimas, em contrapartida, o depósito bancário de avultadas somas de dinheiro.

Medidas operativas

“Estas acções eram protagonizadas com outros elementos residentes nas províncias de Cabinda, Luanda, Benguela e Huíla”, disse o porta-voz, para acrescentar que após várias medidas operativas pontuais, com recurso ao trabalho de inteligência criminal, foram detidos e indiciados pelo crime de burla os cidadãos Stanislau Cristóvão Mendes de Almeida (Laú), de 21 anos de idade, David Nelson Bitumbo Azar (Nelson), António Francisco Gomes (Tony), de 29 anos, e Maria Augusta António Sebastião, de 33 anos, todos residentes na cidade de Menongue.
Paulo de Novais avançou que o Serviço de Investigação Criminal tem conhecimento de que os criminosos subtraíram à sua primeira vítima 980 mil kwanzas e à segunda 150 mil kwanzas, perfazendo o total de um milhão e 130 mil kwanzas. Paulo de Novais que em posse dos acusados foram encontrados 12 cartões “SIM” da rede de telefonia móvel Unitel, quatro telemóveis, três cartões multicaixa dos bancos Yeto, Sol e Millennium, igual número de cartões do supermercado Kero e um caderno com o registo dos nomes dos indivíduos burlados e outros, com os respectivos terminais telefónicos, seleccionados para futuras burlas.
O Serviço de Investigação Criminal no Cuando Cubango registou de Julho a Setembro do ano em curso um total de 45 crimes diversos, que resultaram na detenção de 98 pessoas individuais e 14 grupos, indiciados na prática de homicídios, violações, furtos, roubos qualificados, ofensas corporais, violência doméstica, rapto de menores e vandalismo.
Paulo de Novais informou que a detenção dos criminosos em referência, cujas idades variam entre os 18 e os 45 anos, foi possível graças “ao trabalho árduo dos efectivos do SIC e à pronta colaboração da população.”
Paulo de Novais salientou que durante o período em causa foi possível recuperar dos marginais várias motorizadas, armas de fogo, instrumentos contundentes, electrodomésticos e meios informáticos.

Apelo à população


O porta-voz do Serviço de Investigação Criminal apelou à população para redobrar a vigilância, fazendo o devido acompanhamento aos menores e evitando arrendar as residências a pessoas completamente desconhecidas. Paulo de Novais pediu que a população mantenha as autoridades policiais informadas sobre o movimento de pessoas estranhas, e não só, "de formas a permitir a pronta intervenção das forças, visto que o crime é um fenómeno social e a sociedade deve envolver-se no seu combate”.

Tempo

Multimédia