Sociedade

Cultura de denúncia ajuda a travar a imigração ilegal

Joaquim Suami | Cabinda

A falta de cultura de denúncia é uma das causas da entrada ilegal de estrangeiros em Cabinda, a maioria dos quais da República Democrática do Congo, disse ontem o comandante municipal de Cabinda da Polícia Nacional.

Fotografia: Jaquelino Figueredo|Edições Novembro

O superintendente Simão Chicuma, que manteve,  na aldeia de Ntó, um encontro com as autoridades tradicionais, declarou que o cidadão deve ser o primeiro a controlar e denunciar a presença de pessoas estranhas.
O comandante reconheceu que a imigração ilegal é um problema difícil e que tudo deve ser feito para que Angola esteja livre de cidadãos estrangeiros em situação ilegal. Em Cabinda, o combate ao fenómeno é complexo devido à longa extensão da fronteira com a RDC, disse  Simão Chicuma, para quem há um trabalho conjunto para a alteração do quadro na região. O regedor da aldeia do Yabi, Julião Paulo, assegurou que a população das aldeias que integram a regedoria de Ntó vai colaborar com a Polícia Nacional no combate à imigração ilegal.
O regedor de Ntó, Joaquim Cadeca, apelou ao Estado para reforçar com meios técnicos a fronteira com a República Democrática do Congo. O comando municipal de Cabinda da Polícia Nacional realiza um ciclo de encontros com as autoridades tradicionais, devido à necessidade de reforço do combate ao crime e do policiamento de proximidade.

Tempo

Multimédia