Sociedade

Detidos supostos jornalistas por tentativa de extorsão a director de hospital da Quibala

Casimiro José | Quibala

Dois jornalistas, dos quais um da Rádio Ecclesia (Emissora Católica de Angola) e outro do jornal “Visão”, que se encontram detidos desde o passado dia 4, alegadamente por tentativa de extorsão e chantagem ao director do Hospital Municipal da Quibala, foram apresentados à comunicação social, naquela cidade do Cuanza-Sul, pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Correspondentes da Rádio Ecclesia e do Jornal Visão, na província do Cuanza-Sul, estão a contas com a Justiça por extorsão
Fotografia: Casimiro José | Edições Novembro | Quibala

Segundo fonte do SIC, o facto ocorreu, no passado dia três do corrente mês, quando os jornalistas abordaram o director do Hospital Municipal da Quibala, alegando disporem de informações comprometedoras, acerca de uma paciente que sofreu cesariana, na qual o médico terá esquecido um objecto no abdómen da parturiente, descoberto após ter sido transferida para a Maternidade Provincial do Cuanza-Sul, na cidade do Sumbe.
De acordo com o SIC, que cita o director do Hospital Municipal da Quibala, os elementos sustentaram que os familiares da parturiente recorreram aos respectivos órgãos de comunicação social para a divulgação do sucedido, alertar a sociedade e o caso ir parar aos órgãos judiciais com vista a responsabilizarem-se as pessoas envolvidas na grave falha médica.
Segundo o SIC, os dois indivíduos exigiram ao director do Hospital Municipal da Quibala a quantia de 500 mil kwanzas como troca pelo silêncio. Depois de várias negociações, o montante foi reduzido para 250 mil kwanzas, que seriam pagos em várias parcelas.
O director do Hospital Municipal da Quibala, Francisco Martins, presente no acto de apresentação dos dois jornalista, disse à imprensa que tentou esclarecer o sucedido tecnicamente, mas os indivíduos exigiram o dinheiro para não divulgarem a informação.
“Comprometi-me a colaborar, pagando o valor monetário em prestações, tendo no mesmo dia desembolsado 50 mil kwanzas, para salvaguardar o bom nome da unidade hospitalar”, disse Francisco Martins.
Já depois de ter denunciado o facto às autoridades policiais da província, no dia seguinte, previsto para entregar uma outra prestação, no valor de 100 mil kwanzas, os efectivos do Serviço de Investigação Criminal apareceram e na ocasião prenderam os dois indivíduos em flagrante delito.
A terceira subchefe Mariquinha Gomes, do Gabinete de Imprensa do Serviço de Investigação Criminal do Cuanza-Sul, disse que os processos foram já remetidos ao Ministério Público, estando a seguir os trâmites legais, até transitarem em julgado, dentro das normas estabelecidas por Lei.
“Após a sua detenção em flagrante delito, os processos foram remetidos ao Ministério Público, numa altura em que os arguidos se encontram em prisão preventiva”, disse Mariquinhas Gomes.
De acordo com o director do Hospital Municipal da Quibala, a parturiente em causa teve um parto por cesariana complicado, por factores relacionados com a idade, número de partos já efectuados e resistência da mesma para ser submetida à cirurgia.
O médico garantiu que a paciente está a ser assistida na Maternidade Provincial do Cuanza-Sul, na cidade do Sumbe, para onde foi transferida.
Contactado ontem pelo Jornal de Angola, por telefone, o director de Informação da Rádio Ecclesia, Walter Cristóvão, apesar de estar de férias, confirmou a veracidade do assunto, alegando tratar-se de um colaborador da Emissora Católica de Angola, no Sumbe, capital do Cuanza-Sul.
Walter Cristóvão disse também que foi já garantido ao colaborador um advogado de defesa.

Tempo

Multimédia