Sociedade

Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza: Por uma melhor qualidade de vida

Osvaldo Gonçalves

O 17 de Outubro, assinalado ontem, é uma data que obriga a reflexões profundas sobre o delicado momento que vive a Humanidade, marcado por uma pandemia que abalou a economia mundial e acentuou o grande fosso entre ricos e pobres.

Fotografia: DR

Se antes da Covid-19 o ritmo de redução da pobreza, que acontecia há 22 anos, registava já um desaceleramento, o Sars-CoV-2 veio atrapalhar ainda mais as coisas, ao esconder as injustiças há muito praticadas entre os Estados e dentro deles.

O Banco Mundial (BM), que havia estabelecido, em 2013, o objectivo de reduzir a pobreza extrema a nível máximo de três por cento da população mundial, até 2030, avança agora que a pandemia e a recessão global podem fazer com que mais de 1,4 por cento dos habitantes do planeta caiam nessa situação.

A meta estabelecida em 2013 tornou-se inalcançável. Para tal, seria preciso implementar políticas significativas e proceder as mudanças substanciais no actual sistema económico mundial.

A crise provocada pelo novo coronavírus “intensifica as vulnerabilidades e inadequações do sistema de alimentação global”, que representa todas as actividades e processos de produção, distribuição e consumo de alimentos.

Ao menos, 83 milhões de pessoas podem passar fome em 2020. Para o BM, a pobreza deve crescer neste e no próximo ano em países com um elevado nível de pobreza e nos classificados como de rendimento médio a queda seria de 82 por cento.

Neste cenário, marcado por incertezas, é assinalado o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, data designada em 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU), em reconhecimento dos esforços do Padre Joseph Wresinski, fundador do Movimento Internacional ATD Quarto Mundo, que, em 1987, reuniu cerca de 100 mil pessoas na Praça dos Direitos Humanos e Liberdades, em Paris, França, para homenagear as vítimas da pobreza, fome, violência e medo.

A erradicação da pobreza é dos oito objectivos de Desenvolvimento do Milénio, definidos em 2000, o qual só é possível se todos apoiarem os mais renegados.

O Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza tem como propósito conscientizar a sociedade e os governos de todo o mundo sobre o elevado número de pessoas que ainda estão a viver em extrema pobreza, expostos à miséria, à fome crónica e à violência.

Embora a pobreza extrema seja considerada crime contra os direitos humanos, mais de 840 milhões de pessoas continuam passando fome excessiva, em todo o planeta, pelo que todos os governos devem assegurar que os seus habitantes vivam com qualidade de vida e dignidade.

Tempo

Multimédia