Sociedade

Discriminação salarial preocupa Mulheres Sindicalizadas

Manuela Gomes

A discriminação salarial, a falta de pagamento do subsídio de maternidade e o baixo valor da subvenção do aleitamento materno  constituem as principais preocupações apresentadas por trabalhadoras ao Comité Provincial das Mulheres Sindicalizadas.

Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

A secretaria-geral do Comité Provincial das Mulheres Sindicalizadas, Filomena Soares, disse ontem, em Luanda, à margem do fórum “A participação da mulher na vida sindical”, que o organismo tem enfrentado “inúmeros desafios”, resultantes do incumprimento por parte de algumas entidades empregadoras, que se demarcam  das suas obrigações para com os trabalhadores.
Segundo Filomena Soares, alguns conflitos têm sido resolvidos por meio de acordos  entre a entidade empregadora e os trabalhadores e o comité das mulheres sindicalizadas tem conseguido ajudar na  solução de alguns destes casos.
Filomena Soares disse que o facto de muitas mulheres desconhecerem a legislação laboral sindical faz com que sejam marginalizadas na atribuição salarial, principalmente quando se trata de funcionárias com o mesmo perfil e capacitação.
“Queremos uma maior participação das mulheres nos sindicatos e contribuir para que elevem o seu nível para o bem-estar social, justiça e progresso”. Para isso, considerou necessário existir acompanhamento das mulheres trabalhadoras que, independentemente de exigirem os seus direitos, devem, também, saber quais os seus deveres.
Filomena Soares apelou às mulheres, particularmente nas empresas, para que sejam mais organizadas e que façam parte dos núcleos sindicais.
O seminário visa orientar as trabalhadoras a criarem programas que incentivem a sua participação nos núcleos sindicais. “É  importante que conheçam a lei sindical, a reforma e o papel da mulher na sociedade.”
O Comité Provincial das Mulheres Sindicalizadas controla 17 núcleos sindicais de várias empresas e um dos seus principais desafios consiste na defesa da igualdade, oportunidades e tratamento. 
Durante o fórum, no qual participaram coordenadoras dos núcleos de mulheres sindicalizadas de Luanda, foi abordada a legislação laboral sindical, as leis geral do trabalho, sindical, da maternidade e direitos e deveres das mulheres domésticas.
O Comité Provincial das Mulheres Sindicalizadas tem programado, para o dia 28, uma marcha em alusão ao assédio sexual e moral nas empresas.

Tempo

Multimédia