Sociedade

Dois clínicos assistem 38 mil habitantes

Edna Mussalo

No município de Muconda, província da Lunda-Sul, apenas dois médicos assistem 38 mil habitantes, uma situação humanamente impossível, a julgar pelo número de casos que dão entrada no hospital municipal da vila, disse o administrador municipal-adjunto da circunscrição.

Fotografia: EdIções Novembro

Lote Moutinho informou que os médicos são auxiliados por enfermeiros que assistem pacientes provenientes das quatro comunas de Muconda, referindo que, em relação às patologias, no município há poucos casos de malária de- vido à preocupação com o saneamento básico, de modo a eliminar as larvas e evitar a propagação da doença.
Lote Moutinho, que falava ao Jornal de Angola por altura do 29º Conselho Consultivo do Ministério da Saúde, realizado em Luanda, reconheceu que, apesar das dificuldades que afectam o sector da Saúde, foram criadas algumas condições, como o abastecimento regular de medicamento e a circulação nos bairros de um carro de fumigação.
“Faço uma avaliação positiva na distribuição e aquisição de medicamentos a partir do Centro de Compra de Medicamentos de Angola (CECOMA)”, disse o adminitrador municipal-adjunto, Lote Moutinho.

Namibe melhor servido
Ao contrário do município de Muconda, a região da Bibala, no Namibe, conta com seis médicos e 58 enfermeiros e dispõe de 27 postos de saúde nas aldeias e comunas.
O administrador da Bibala, Tchinanga Nkole, reconheceu que o município conta com uma boa cobertura sanitária e disse que as grandes endemias, como a malária e outras estão controladas.

Tempo

Multimédia