Sociedade

Educação forma mais de 4 mil professores

César Esteves |*

Ao todo, quatro mil e 500 professores do ensino primário, dos nove mil e 600 previstos, foram formados, de Junho de 2018 até à presente data, em Luanda, pelo Ministério da Educação, no âmbito do projecto de Capacitação para Professores Primários (CAPRI).

Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Até final deste ano, o projecto prevê formar os restantes cinco mil e 100 professores, segundo dados tornados públicos ontem, em Luanda, durante a abertura da primeira edição da Feira de Boas Práticas do Ensino Primário, com o lema “Com sentido de responsabilidade, contribuamos todos para um Ensino Primário de Qualidade em Angola”.
O projecto, que está a capacitar professores primários, foi lançado a 18 de Julho de 2018 e decorre nos diferentes municípios de Luanda.
O CAPPRI conta com um investimento de 243 milhões de kwanzas, do Banco de Fomento Angola (BFA).
A feira sobre boas práticas no ensino primário, em prol da qualidade da educação em Angola, tem como finalidade demonstrar as boas práticas usadas no ensino primário. Também serve para o impacto do desenvolvimento de competências dos alunos, com realce para leitura, escrita, matemática, desporto, arte e cultura.
Os alunos demonstraram os vários métodos de ensino, através dos quais aprendem as lições. A ministra da Educação, Cândida Teixeira, que participou em várias demonstrações com os alunos, esclareceu que o evento visou, também, mostrar aos directores provinciais o projecto CAPRI, que foi aplicado em alguns municípios de Luanda.
A expansão do projecto às demais províncias do país, segundo Cândida Teixeira, está dependente do orçamento do departamento ministerial no próximo ano.
“Queremos, a todo o custo, replicar para todo o país”, frisou, para acrescentar que são práticas que vieram para revolucionar e fazer toda a diferença no ensino primário.
“São formas inovadoras de aprender e, também, de ensinar”, realçou.
No que diz respeito à qualidade do ensino primário no país, a ministra da Educação admitiu haver melhorias, fruto da formação que se está a dar aos professores.
* com Angop

Tempo

Multimédia