Sociedade

Educação quer verbas para erguer casas de professores

Lourenço Bule | Menongue

O Ministério da Educação vai propor ao Executivo para  no próximo Orçamento Geral do Estado ser contemplada uma verba para a construção de residências para professores em zonas recônditas do país, cujas escolas não possuem tais infra-estruturas, disse, em Menongue, a titular da pasta.

Ministra da Educação diz que o sector está a fazer o levantamento de escolas que não possuem casas de professores
Fotografia: Nicolau Vasco| Edições Novembro| Menongue

Cândida Teixeira disse que o Ministério da Educação está  a efectuar em todo o país o levantamento de escolas construídas em zonas recônditas e que não possuem residências para  os professores.
A governante, que falava à margem do encontro com directores e subdirectores de  escolas sediadas em Menongue, explicou que  a medida visa  acabar com a fuga de quadros do sector da Educação que trabalham no interior das províncias que, por falta de condições de acomodação, acabam por abandonar as localidades.
A governante disse que é necessário que os professores se sintam valorizados e orgulhosos da sua profissão.
“Devemos olhar para o docente com muito respeito e carinho, cabendo ao Estado dar-lhe todo o apoio quando no exercício da sua profissão”, disse a ministra da Educação.
 Cândida Teixeira disse que a verdadeira pobreza não tem a ver com a falta de valores monetários, mas sim com a carência de conhecimentos por parte da população. Por isso, pediu aos responsáveis das escolas para redobrarem os esforços para melhorarem a qualidade de ensino.
 No encontro, a ministra da Educação falou da  necessidade de o Cuando Cubango ser uma província diferente das demais, visto que uma mudança em cada um tem um grande impacto no desenvolvimento da região sudeste do país, em particular, e  de Angola no geral.
Cândida Teixeira elogiou o governo da província pelas excelentes condições de hi-giene e de trabalho colocados à disposição dos professores e alunos das escolas do ensino primário e do segundo ciclo da cidade de Menongue que, em seu entender ,superam de longe as de outras regiões por onde passou. “Visitei algumas escolas na cidade de Me-nongue e constatei que têm óptimas condições de trabalho e de acomodação para os alunos”, disse, acrescentando que apesar do número ínfi-mo de professores, o Cuando Cubango tem docentes de boa qualidade.

Actualização de carreiras
Questionada sobre a falta de promoção e actualização de categorias de professores com mais tempo de serviço e níveis académicos superior, a ministra disse que este problema vai ser  solucionado com a aplicação do Estatuto da Carreira dos Agentes da Educação, já aprovado pelo Executivo.
No entender da governante, um dos maiores problemas que o sector da Educação enfrenta a nível do país tem a ver com a escassez de quadros especializados na área de ensino especial, obrigando a que muitas crianças que se encontram nestas condições não beneficiem de formação académica.
O Ministério da Educação está a fazer esforços para contrariar esta situação, com a formação de quadros especializados na área de ensino especial, para que as crianças portadoras de deficiência possam aprender a ler e escrever, bem como obter uma formação a outros níveis, disse Cândida Teixeira.
Informou que o Ministério da Educação está envolvido na regularização da situação dos professores que ainda se encontram com os salários desactivados do sistema de pagamentos do Ministério das Finanças, por falta de documentos.

Tempo

Multimédia