Sociedade

Emergência médica coloca serviços em hospital público

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEMA) vai criar, a partir de quarta-feira, serviços afins numa unidade instalada no Hospital Geral de Luanda, soube ontem a Angop.  

Instituto de Emergência Médica pretende reduzir a mortalidade resultante de acidentes de viação
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

A instalação de uma unidade de emergência médica  do INEMA no Hospital Geral de Luanda é resultante de uma estratégia do Governo Provincial de Luanda que visa reduzir a mortalidade em decorrência da sinistralidade rodoviária.
Meios técnicos e recursos humanos da direcção central do INEMA vão ser transferidos para  o INEMA-Luanda, que, mensalmente, vai fornecer um relatório das actividades e informações sobre o desempenho dos funcionários.
O INEMA-Luanda vai dispor de uma frequência autónoma a fim de garantir a cobertura do sinal em toda a província. O serviço de rádio vai pôr o INEMA em conexão com o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, a Polícia Nacional e os hospitais da província de Luanda. Numa primeira fase, o INEMA-Luanda vai funcionar com sete médicos, 40 enfermeiros e 25 motoristas especializados. No total, 12 ambulâncias, das quais uma neonatal, quatro com suporte básico e sete com suporte avançado vão atender 25 postos avançados.
Na província de Luanda, o INEMA, criado em 2009, atendeu, no ano passado, mais de 800 sinistrados. O instituto é tutelado pelo Ministério da Saúde, tem  autonomia financeira, administrativa e patrimonial  e funciona com 166 efectivos.

Tempo

Multimédia