Sociedade

Enchentes nas repartições de Identificação Civil e Criminal

César André

As Repartições de Identificação Civil e Criminal de Luanda continuam a registar enormes enchentes. Além dos constantes cortes de energia, o sinal “One line” de emissão do documento é baixo, o que cria constrangimentos.

Obtenção do Bilhete continua a ser difícil em Luanda
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

Na Repartição de Identificação Civil e Criminal do Cazenga II, na zona de Kimakieza, a azáfama tem sido total.
Afonso Garcia vive nos arredores do bairro Debester e diz que apesar da normalização do sistema de emissão do documento ainda existe muita burocracia e não só para o documento.
“Estou aqui há dois dias num sobe e desce para tratar o Bilhete de Identidade e até agora não consigo devido a problemas burocráticos. Sempre que venho aqui mandam-me regressar para a semana”, desabafou Afonso Garcia, que tenta renovar o BI na Repartição do Kimakieza..
Em causa está a cópia integral do assento de nascimento do cidadão cujos dados não condizem com o antigo Bilhete que pretende renovar.
No Posto Móvel de Identificação situado na rua do Comércio, no Cazenga, a situação é idêntica.
Patrick Jorge, responsável do posto, justificou a enchente com a localização geográfica favorável e a capacidade de atender mais de 90 pessoas por dia.
“Além da posição geográfica, os cidadãos procuram os nossos serviços porque o atendimento é célere”, referiu. Gaspar dos Santos, chefe em exercício da Repartição de Identificação Civil e Criminal do Cazenga II, disse que a instituição está a fazer a emissão e entrega dos documentos sem constrangimentos.
Na Repartição de Identificação Civil e Criminal dos Combatentes, Distrito Urbano do Sambizanga, o cenário era idêntico.
Cidadãos formando uma longa fila aguardavam pela sua vez para serem atendidos. Ainda assim, Ana Constância, chefe da Repartição Municipal, afirma que o atendimento é célere e tem havido poucas reclamações.

Tempo

Multimédia