Sociedade

Ensino primário recebe 112 mil livros diversos

André Brandão|Ndalatando

A província do Cuanza-Norte beneficiou, terça-feira, de 112.775 manuais do Ensino Primário e fichas para a Iniciação e livros da 6ª classe, para distribuir a 124 mil alunos matriculados neste ano lectivo em escolas públicas e privadas dos 10 municípios.

Fotografia: DR


Falando à margem da visita da ministra da Educação, Ana Paula Elias, ao Cuanza-Norte, o director do Gabinete provincial, Manuel Lourenço, explicou que entre os manuais recebidos estão livros de Língua Portuguesa, Estudo do Meio e Matemática.
Cuanza-Norte vai receber até finais de Março, um total de 532 mil livros do ensino primário para todos os municípios, comunas e sectores. Os materiais começaram a ser entregues, ontem, às administrações para os fazer chegar às escolas.
Manuel Lourenço lembrou que o Ministério da Educação (MED), em parceria com a Polícia Nacional, reforçou a fiscalização do processo de distribuição gratuita de ma-nuais escolares do ensino primário para travar a venda destes no mercado informal.
O director do Instituto Nacional de Investigação e De-senvolvimento da Educação (INIDE),Manuel Afonso, disse que no país, serão distribuídos 33 milhões de ma-nuais do Ensino Primário e 22 mil em Braille, para cri-
anças portadoras de deficiência visual.
Manuel Afonso reforçou que este ano, a instituição contratou empresas para a distribuição dos manuais e outras para a fiscalização, de modo a reduzir a possibilidade de desvio de manuais do circuito legal.
“A produção dos manuais resulta de um investimento do Governo, pelo que as tentativas de venda serão exemplarmente punidas, por serem de distribuição gratuita”, exortou.
Segundo o responsável, a introdução das línguas nacionais no Ensino Primário e Secundário está a ser revista, tendo em conta as insuficiências diagnosticadas do ponto de vista curricular e da sua estratégia de implementação.
A introdução das línguas nacionais no sistema de en-sino terá os primeiros resultados em 2023, fruto do Programa de Adequação Curricular 2018-2026, que contempla duas etapas de operacionalização, nomeadamente a criação de condições didáctico-pedagógicas e a sua gestão.
A ministra visitou as instalações do Gabinete Provincial da Educação, as escolas primárias nº 211, a especial Manuel Pedro Pacavira, a nº 7 do Quilómetro 13, o Liceu Eiffel, a Escola Técnica de Saúde e o Complexo Escolar Comandante Benedito.
x

Tempo

Multimédia