Sociedade

Ensino primário é tema de análise e discussão

Nhuca Júnior

A Agência Piaget para o Desenvolvimento realiza hoje, na Universidade Jean Piaget, em Luanda, uma conferência sobre educação com o tema “O ensino primário de qualidade: desafio à participação de todos”.

Os desafios do ensino primário no país juntam especialistas ligados ao sector da Educação
Fotografia: Arimateia Baptista | Edições Novembro | Humpata

A conferência realizada em parceria com o Sindicato Nacional dos Professores (SINPROF) e com a Rede Educação para Todos (RET-Angola), é uma iniciativa que procura contribuir para o processo de melhoria da qualidade da educação no país a partir do diálogo e reflexão de diversos especialistas.
A reflexão sobre a realidade da educação no país vai ser feita com base na apresentação de dados de uma pesquisa desenvolvida por um projecto sobre as necessidades de formação de professores do ensino primário.
A organização da conferência convidou vários oradores, entre os quais Alexandra Simeão, ex-vice-ministra da Educação, Pedro Peterson, reitor da Universidade Jean Piaget de Angola, Muanda Vidal Mbiqui, da Direcção Nacional do Ensino Geral, um representante dos Recursos Humanos do Ministério da Educação, e o professor Manuel Pereira, vice-presidente do SINPROF.
O evento conta também com a parceria do Ministério da Educação, da Direcção Provincial de Educação de Luanda, da Universidade Jean Piaget de Angola, da Chevron e de diversas organizações da sociedade civil.
A ministra da Educação, Cândida Teixeira, foi convidada a presidir à cerimónia de abertura da conferência, mas a sua presença até ontem não estava confirmada, de acordo um documento enviado ao Jornal de Angola pela organização da conferência.


Educação da sociedade

O Dia Mundial do Professor celebra-se anualmente a 5 de Outubro, em homenagem a todos os que contribuem para o ensino e a educação da sociedade. A data foi criada pela UNESCO em 1994, com o objectivo de chamar a atenção para o papel fundamental que os professores têm na sociedade e na instrução da população.
Há dois anos, numa mensagem por ocasião da efeméride, a UNESCO declarou que um sistema de educação somente pode ser tão bom se tiver bons professores. “Os professores são essenciais para uma educação universal e de qualidade para todos e fundamentais na formação das mentes e das atitudes das próximas gerações”, lê-se na mensagem. A UNESCO fez, na mensagem, referência  à questão da qualidade e menção ao facto de os professores trabalharem sem recursos ou sem formação adequada.
Os desafios actuais são enormes, declarou a UNESCO, acentuando que o Mundo enfrenta uma crise mundial da aprendizagem, com 250 milhões de crianças que não aprendem o básico, mesmo que mais de metade delas tenha passado quatro anos na escola.

Formação rigorosa
No entender da UNESCO, capacitar os professores para que tenham sucesso é uma prioridade, o que significa formação rigorosa, melhores condições de trabalho, formação com base na qualidade, desenvolvimento de carreira bem planeado e o recrutamento de novos professores. A valorização da profissão de professor continua a ser prioidade do Executivo, conforme garantiu o novo Presidente da República, João Lourenço, quando discursava, há dias, na sua investidura, cerimónia realizada no Memorial Doutor Agostinho Neto.
Os males de que enferma o sector da Educação estão a ser atacados para, num futuro breve, serem definitivamente erradicados.
O sector da Educação recebeu, nos últimos 15 anosd, em todo o país, investimentos avultados, por via dos quais foram erguidos centenas de salas de aula e recrutados um número expressivo de professores.   

Tempo

Multimédia