Sociedade

Ensino Superior promete pagar subsídios em atraso

O Ministério do Ensino Superior, Ciência , Tecnologia e Inovação (MESCTI)  informou  ontem  que está a envidar esforços , em articulação com os parceiros directos do Instituto Nacional de Gestão de  Bolsas de  Estudo  (INAGBE), “para a regularização imediata” do pagamento dos subsídios em atraso das bolsas de estudo aos estudantes no exterior do país.

Fotografia: DR

O MESCTI reagiu, em comunicado, a notícias divulgadas, nos últimos dias,  em vários órgãos de informação e redes sociais, dando conta que bolseiros angolanos no estrangeiro,  particularmente em Portugal, estão a passar dificuldades, por estarem há vários meses sem receber os subsídios.
No comunicado, o Ministério do Ensino Superior  afirma que “está ciente das dificuldades que os bolseiros no exterior atravessam,  pelo que reafirma o empenho “em solucionar rapidamente o problema, lamentando os contrangimentos causados”.
Em relação aos bolseiros na Universidade da Beira Interior, na Covilhã, em Portugal,  que, segundo as notícias, estão há vários meses sem pagar renda de casa e sujeitos a ajudas de familiares e amigos, o  MESCTI  informa que o Sector de Apoio aos Estudantes em Portugal mantém contacto com os próprios bolseiros e restantes instituições do ensino superior”, para honrar os compromissos.
O INAGBE vai ouvir,  esta semana, em  vídeo conferência, os estudantes na Covilhã as suas inquietações e elucidá-los sobre a crise financeira que o país enfrenta e, sobretudo, o que o MESCTI tem feito para cumprir as suas obrigações institucionais.

Tempo

Multimédia