Sociedade

Entidade reguladora preocupada com a credibilidade do jornalismo

Kilssia Ferreira

Rigor no tratamento da informação e a observância do princípio do contraditório foram questões abordadas ontem, em Luanda, num colóquio organizado pela Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA).

Fotografia: DR

O colóquio discutiu o rigor da informação jornalística, como factor de credibilização, tendo os profissionais sido alertados sobre a necessidade de respeitar os princípios éticos e deontológicos. Jornalistas e editores de vários órgãos públicos e privados de comunicação social avaliaram medidas e acções para um jornalismo responsável e isento. O encontro serviu, também, para troca de experiências entre os profissionais.
Ao falar sobre “o rigor da notícia e a ética jornalística”, o jornalista Africano Neto, da RNA, disse que a falta de rigor   afugenta os leitores, ouvintes e telespectadores.
Africano Neto defende rotatividade de repórteres nas coberturas ou acompanhamento de determinada entidade para não comprometer a isenção ou o rigor pretendido.
“Os desafios do jornalismo face às redes sociais” foi outro tema abordado. O orador foi o  vice-presidente da ERCA, Paulo Mateta. O evento decorreu no Memorial Dr. António Agostinho Neto e teve, entre os presentes, o secretário da Estado da Comunicação Social, Celso Malavoloneke, e do presidente da ERCA, Adelino de Almeida.
Celso Malavoloneke considerou de grande valia actividades, que velam pelo actual estado da comunicação e da utilização das redes sociais.

Tempo

Multimédia