Sociedade

Escola de Saúde do Cazenga deixa jovens sem estudar

Carla Bumba

A Escola de Formação de Técnicos de Saúde do Cazenga, em Luanda, inaugurada este ano, vai arrancar apenas com 12 turmas das 24 programadas Segundo uma fonte, que pediu para não ser identificada, “não se justifica” tal pretensão uma vez que o país contínua a registar insuficiência de salas de aula.

Fotografia: DR

“A informação existente é que as demais salas de aula vão ser reservadas para o próximo ano lectivo”, adiantou a fonte, que acrescentou ser descabida a orientação, por a escola ser nova. Localizada na Centralidade do Cazenga, está na fase final do processo de matrículas, com previsão de registar 864 alunos no turno da manhã e da tarde.

Armindo Domingos, membro de direcção da escola, disse ao Jornal de Angola, que a escola “não preenche todas as salas, para evitar que, no próximo ano lectivo, fique sobrecarregada com os alunos que transitarem para a 11ª classe. Só em 2023 é que ela ficará toda preenchida”.
Em conferência de im-prensa, na segunda-feira, a ministra da Educação, Cândida Teixeira, confirmou que as escolas novas “não podem”, no primeiro ano de existência arrancar com todas as salas, para permitir que no ano seguinte sejam matriculados novos alunos da 10ª classe.

Tempo

Multimédia