Sociedade

Estacionar está agora mais barato ao longo da Marginal de Luanda

Nilza Massango

O estacionamento de viaturas nos parques públicos, existentes ao longo da Marginal de Luanda, custa, desde ontem, 50 kwanzas por hora, contra os até 300, praticados anteriormente, pelas empresas privadas, gestoras desses espaços.

Gestores privados negam responsabilidades em casos de roubos ou furtos em viaturas
Fotografia: Contreitas Pipa | Edições Novembro

Ontem, a reportagem do Jornal de Angola constatou que apesar da redução do valor, os dois grandes parques que ficam ao longo da Baía estavam praticamente vazios, pelo número de vagas que têm. O maior deles, defronte à Fortaleza de São Miguel, gerido pela empresa LuaPark, esteve “às moscas”, por volta das 10 horas. Num universo de centenas de lugares, apenas 10 a 15 viaturas estavam parqueadas.
O outro parque grande, em direcção ao Porto de Luanda, gerido pela empresa PARQ, foi sempre o mais frequentado, apesar dos 200 kwanzas que se cobrava por hora. Um funcionário acredita que o fluxo se deva ao facto de existirem várias empresas em redor. Com centenas de lugares disponíveis, tinha mais de 50 viaturas estacionadas.
A maioria não permanecia mais de uma ou duas horas. Havia uma entrada e saída constante de viaturas. Alguns automobilistas surpreenderam-se com o novo preço, uns satisfeitos, outros nem tanto, por acharem que, ainda assim, não compensa. Francisco Almeida, que estacionou por poucos minutos, no parque junto ao Porto de Luanda, disse que pagar 50 kwanzas por hora, compensa apenas para quem não trabalha na zona e vem de passagem.
“ Eu acho que o novo preço fica caro na mesma, para quem trabalha mais de oito horas por dia. São cerca de 400 ou 500 kwanzas por dia, dinheiro que nem sempre temos”, reagiu.
Outro automobilista, surpreso com o novo preço, defende que o valor de 50 kwanzas por hora seria para quem estivesse de passagem. Quem parqueia todos os dias, com mais de oito horas, o valor fica pela metade. O parque junto ao Deana Day Spa, que cobrava 100, ontem co-meçou a cobrar, também, 50 kwanzas por hora. Já o outro, erguido junto ao edifício Kilamba, gerido pela empresa LuaPark, já cobra 50 kwanzas por hora e 500, o dia todo, des-de Fevereiro do ano passado. Estes dois parques ficam lotados, todos os dias.

Roubos nas viaturas


A empresa PARQ, como as restantes que asseguram a gestão dos parques, não se responsabiliza por roubos, furtos, ou danos causados por terceiros, às viaturas parqueadas. Um jovem, trabalhador da LuaPark, afirmou que desde Outubro do ano passado não se registava roubos às viaturas naquele recinto. “Antes, uma ou outra eram abertas à força e os meliantes levavam tudo que se encontrava no interior da mesma”. O jovem acrescentou ainda que a direcção do parque contratou seguranças para manter a ordem, pelo menos até a hora do parque fechar.
A empresa PARQ está a estudar, também, a possibilidade de atribuir um valor mensal por lugar, no estacionamento. Segundo o tarifário da mesma, existe uma tolerância de cinco minutos depois da entrada.

Tempo

Multimédia