Sociedade

Estratégia de comunicação assente nas redes sociais

A Igreja Católica, que começou recentemente a utilizar as redes sociais, pretende que estas sejam o seu principal meio de comunicação com os cerca de meio milhão de jovens que estão em Madrid a participar, desde ontem, na Jornada Mundial da Juventude (JMJ). 

O papa valoriza as redes sociais
Fotografia: Reuters

A Igreja Católica, que começou recentemente a utilizar as redes sociais, pretende que estas sejam o seu principal meio de comunicação com os cerca de meio milhão de jovens que estão em Madrid a participar, desde ontem, na Jornada Mundial da Juventude (JMJ). 
Pela primeira vez, a Internet e os novos mass media ganharam uma posição central na estratégia de comunicação num evento da Igreja Católica. A JM tem perfis oficiais em redes sociais como Twitter, Facebook, Tuenti e Youtube, administrados por uma equipa de 60 voluntários em todo o mundo, que escrevem em 21 línguas.
“O nosso objectivo é dar voz aos jovens que participam na JMJ e que a vão viver na primeira pessoa, e também informar aqueles que não puderam vir sobre tudo o que está a acontecer”, afirmou Benjamín Paz, de 24 anos, o argentino que coordena os community managers (gestores comunitários, na tradução para o português) da JMJ, em entrevista à Reuters.
Madrid alberga a Jornada Mundial da Juventude, que vai de 16 a 21 de Agosto e deve contar com a presença do Papa Bento XVI.
A JMJ está presente na rede desde 2009. O seu perfil em espanhol, no Twitter, conta até ao momento com quase 11 mil seguidores, ao passo que no Facebook é seguido por mais de 160 mil interessados.
E esse não foi o único passo que a Igreja Católica deu para se modernizar. Em Junho, o Vaticano, com assessoria de uma empresa espanhola, lançou um portal de notícias com o objectivo de promover a imagem da Igreja, especialmente entre os jovens.
“A Igreja sabe que os meios de comunicação mudaram muito e que precisa de ter em conta os novos media. O papa conhece bem a importância das redes sociais, sobretudo para se comunicar com os jovens”, disse Gustavo Entrala, presidente executivo da Agência 101, que assessora o Vaticano.
O portal de notícias conta com versões em diversas línguas. O seu perfil no Twitter teve o primeiro tuíte escrito pelo papa Bento XVI. 

Tempo

Multimédia