Sociedade

Estudantes do Itel apresentam inovações

Rodrigues Cambala

A 11ª edição da Fititel - Feira de Inovação Tecnológica do Instituto Médio de Telecomunicações (Itel) - abre amanhã e decorre até dia 6 deste mês, onde os estudantes vão expor várias invenções viradas a tecnologias de informação e comunicação.

Organização prevê a visita de mais de oito mil pessoas
Fotografia: Contreira Pipas | Edições Novembro

Sob o lema “Era digital: inclusão da tecnologia para o desenvolvimento da sociedade”, os estudantes promovem, nesta feira, a capacidade criativa, que resultaram das aulas teóricas e práticas transmitidas pelos professores ao longo do ano lectivo.
Entre os principais produtos a serem apresentados, os estudantes têm preparado uma apresentação de um sistema integrado de gestão de reconhecimento de estudos superiores, que pode auxiliar os serviços do Inarees ( Instituto Nacional de Avaliação, Acreditação e Reconhecimento de Estudos do Ensino Superior). Nesta inovação, em particular, o candidato que for reconhecer o seu documento tem a possibilidade de acompanhar o desenvolvimento do seu pedido a partir de casa. De-pois da conclusão do processo de reconhecimento, a instituição envia, com rapidez e eficiência, uma mensagem ao candidato por telefone ou e-mail.
Se não for reconhecido o certificado ou diploma, o candidato recebe inclusive os argumentos que levaram ao não reconhecimento do documento. Por outro lado, os estudantes desenvolveram um software sobre iluminação pública. No caso, a empresa de distribuição de energia eléctrica recebe a coordenada geográfica de um poste, cuja lâmpada está avariada. Já a casa inteligente, projecto que contou com mais visitantes na edição do ano passado, conta com novas tecnologias, uma vez que os estudantes criaram sensores de incêndio e detectores de fuga de gás.
O director geral do Itel, André Pedro, disse que a organização prevê que a feira seja visitada por mais de oito mil pessoas, sobretudo estudantes de outras escolas e empresas do ramo tecnológico.
“A feira é um espaço no qual os nossos estudantes apresentam as capacidades e qualidades de tudo que aprendem ao longo da formação”, avançou, para referir que a Fititel visa promover uma aproximação entre as empresas e o sector da Educação.
Ao apontar ser uma mola impulsionadora quando as empresas levam às escolas desafios, André Pedro disse que a parceria é fundamental para que haja abertura no escoamento dos alunos formados, a nível do Itel, para as empresas, contribuindo com mão-de-obra qualificada o sector das Telecomunicações.
O director do Itel manifestou satisfação em relação aos estágios, indicando que tem sido possível garantir estágio. “Em termos de empregabilidade, este ano, foi possível enquadrar 20 alunos. Alguns têm promessa de emprego nos lugares de estágio”, acrescentou.

 

 

Tempo

Multimédia