Sociedade

Ex-mineiros querem indemnizações justas

Xavier António |

Um total de 60 ex-trabalhadores dos projectos mineiros paralisados, em 2008, da Sociedade Mineira do Luachimo (SML), Yetwene, Fucaúma, Luxinge e Luarica concentraram-se, ontem, junto às instalações da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), para reivindicar incumprimentos nos acordos celebrados.

Antigos trabalhadores falam em injustiça da parte da Endiama
Fotografia: Edições Novembro

Em declarações ao Jornal de Angola, o representante dos trabalhadores dos cinco projectos mineiros, Narciso António, disse que, entre as reivindicações dos trabalhadores, constam o processo de reformas, atrasos nos salários e indemnização. Em relação às reformas ,que consideram injustas, explicou, que foram surpreendidos quando alguns colegas já inscritos junto do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) começaram a receber as pensões de reforma que não se reflectiam nos salários previstos.

“Por exemplo, quem ganhava 200 ou 100 mil está a beneficiar apenas de uma pensão de reforma de 20 mil kwanzas. E noutros casos, que ganhavam menos estão a receber mais e isso nos preocupa”, rematou a fonte. Narciso António referiu ainda que, em 2013, os trabalhadores dos projectos paralisados foram coagidos pela Endiama a receber apenas um pagamento referente a seis meses de salários, mediante um termo de quitação, quando na verdade trata-se de 58 meses em atraso.

Endiama cumpriu

O director dos Recursos Humanos da Endiama, Leão Chimin, garantiu que as indemnizações foram pagas mediante um termo de quitação e o pagamento das contribuições para a reforma junto do INSS já está concluído, à semelhança do que ocorreu com o projecto Cuango.

Os termos da quitação, disse, declarava que o vínculo de trabalho com os referidos projectos ficam extinto, não devendo por isso reclamar directa ou indirectamente os créditos devidos, bem como não intentar qualquer acção judicial de natureza civil ou de trabalho, pelo facto de cada trabalhador ter recebido o equivalente a seis mil dólares, referente a sete meses de salários.

Tempo

Multimédia