Sociedade

Extensão universitária contribui para minimização de problemas

Mário Clemente | Bengo

O secretário do Estado do Ensino Superior, Eugénio Silva, disse que a Escola Superior Pedagógica do Bengo abriu novos horizontes com a comunidade internacional e nacional, ao realizar a II Conferência sobre Extensão Universitária, ao interagir, capacitar actores, potenciar capacidades de intervenção e contribuir para a minimização de problemas.

Secretário de Estado, Eugénio Silva (ao centro), disse que uma instituição de ensino superior não pode ser uma ilha isolada
Fotografia: Maria João | Edições Novembro | Bengo

Sob o lema “Por uma extensão fundamentada no desenvolvimento humano sustentável”, a Escola Superior Pedagógica celebrou o 10º ano de existência, com a realização da II Conferência sobre Extensão Universitária, que encerrou ontem, em Caxito.
Eugénio Silva disse que a Escola Superior Pedagógica do Bengo é dos raros exemplos da importância que uma instituição de ensino atribui à extensão universitária, que é uma das nobres missões das instituições do ensino superior, colocando-a nos planos discursivo e de acção no pódio da gestão.
Em seu entender, uma instituição de ensino superior não pode ser uma ilha isolada, afastada do meio que a acolhe, realizando um trabalho quase subterrâneo, cujos resultados são ignorados pela comunidade envolvente.
“Uma instituição do ensino superior deve ser parte integrante do meio em que está inserida e fazer da realidade social para suportar, alimentar os processos de ensino, investigação, extensão e de cooperação, porque o objecto de estudo está na realidade social que acaba por impregnar a vida académica e dar sentido à mesma.”
Durante a conferência realizaram-se vários cursos pré-eventos, que se configuraram como uma oportunidade para os diferentes actores do subsistema do ensino superior, professores do ensino geral, directores de escolas e agentes da educação aprofundarem e actualizarem conhecimentos.
Biblioteconomia, para bibliotecários, georgebra, para professores de Matemática do II ciclo, curso de elaboração e gestão de extensão de projectos pedagógicos e didáctica do ensino superior tiveram a participação de cerca de 300 formandos.
O curso foi dirigido a reitores, directores, decanos, vice-decanos, estudantes universitários, bibliotecários e professores do ensino geral.
O director-geral da Escola Superior Pedagógica do Bengo, João Ima Panzo, disse que a conferência é um meio poderoso de que dispõem para contribuir para a elevação dos índices do desenvolvimento humano.
João Ima Panzo disse que os eventos científicos ou académicos são espaços de partilha de conhecimento. “A escola tem um conjunto de trabalhos que pretende partilhar com as suas congéneres, para pôr à prova aquilo que fizemos e também para aprender com os outros.”
Participaram da II Conferência Internacional sobre Extensão Universitária representantes do Brasil, Portugal, Cuba, Argentina, Moçambique e Cabo Verde, bem como algumas universidades, nomeadamente Agostinho Neto, Mundume ya Ndemufayo, Kuito Kuanavale, Lueji a Nkonda, José Eduardo dos Santos, 11 de Novembro, Isced Huíla, Luanda e Benguela.

Tempo

Multimédia