Sociedade

Famílias rurais na Huíla sensibilizadas sobre Covid-19

Estanislau Costa|Lubango

Mais de quinze mil famílias residentes em diversas zonas suburbanas dos municípios do Lubango, Humpata, Matala e Caluquembe, província da Huíla, foram contempladas nas campanhas de sensibilização e educação sobre os métodos a observar na prevenção contra a Covid-19.

Fotografia: DR

A acção levada a cabo por jovens voluntários de diversas agremiações religiosas, associações juvenis, professores e da Cruz Vermelha, prescreve várias actividades com destaque para a lavagem constante das mãos com água e sabão azul e permanecer em casa.

O coordenador da associação Jovens Voluntários, Francisco Salukene, explicou ao Jornal de Angola que “a via exequível para estar mais próximo das famílias, sobretudo as desfavorecidas, é o contacto porta-a-porta com cidadãos residentes nos bairros e sanzalas, onde cada um toma conhecimento da perigosidade do vírus”.
Sublinhou que o uso das línguas maternas representa uma mais-valia na interacção com os pais e filhos, incluindo idosos a maioria iletrada. “As línguas Umbundu, Nhyaneka-Nkhumbi, Nganguela e Tchokwe são as mais utilizadas durante o contacto com os populares”.
Francisco Salukene descreveu que as campanhas realizadas normalmente aos sábados e domingos contemplam também esclarecimentos sobre a observância obrigatória do distanciamento de pelo menos um metro entre pessoas nos locais com muita concentração.
O jovem da Associação dos Estudantes Universitários, António Marcolino, considera premente a criação de condições básicas para as populações das zonas mais recônditas da província, por se confrontarem com a carência de sabão, recipientes adequados para acarretar água, entre outros.
“Algumas famílias, na ausência de sabão e outros desinfestantes, em certos casos, têm feito uso de água morna e limão para lavar as mãos”, revelou o académico, tendo apelado para a necessidade de contribuições de bens do género para minimizar a carência de produtos higiénicos.

Tempo

Multimédia