Sociedade

Fundação recolhe fundos para comprar mamógrafo

Francisco Pedro

A Fundação Mulher Contra o Cancro da Mama está a promover uma campanha com vista a angariar verbas para a compra de um mamógrafo, equipamento especializado para o diagnóstico precoce do cancro da mama, para o Hospital Geral de Luanda.

Presidente da Fundação Mulher Contra Cancro da Mama (à esquerda) e Dalila Salvador
Fotografia: Francisco Pedro| Edições Novembro

A ideia de ajudar o Hospital Geral de Luanda na aquisição desse equipamento surge do facto de existir apenas em clínicas privadas, o que não está ao alcance de todas as mulheres vítimas do cancro da mama, disse ao Jornal de Angola uma fonte daquela organização filantrópica.

De acordo com Dalila Salvador, a aposta da Fundação Mulher Contra o Cancro da Mama é proporcionar às mulheres mais desfavorecidas a oportunidade de fazerem o diagnóstico precoce e gratuito, a partir do momento em que se adquirir o referido aparelho.
A mamografia (ou mastografia) tem por finalidade estudar o tecido mamário. É um exame de diagnóstico feito através de um raio-x chamado mamógrafo, que permite detectar nódulos naquela parte do corpo, mesmo que estes não sejam palpáveis.
Para as mulheres, a mamografia é um exame benéfico, não invasivo, rápido, prático e que não necessita de preparo. Além disso, quando diagnosticado precocemente, o cancro da mama pode ser curado em 85 por cento dos casos, realçou Dalila Salvador, para quem “o maior dos benefícios é reduzir a taxa de mortalidade resultante deste tipo de doença.” Neste momento, a promotora da campanha já adquiriu cerca de 420 mil kwanzas, durante um almoço solidário que se traduziu “num dia cheio de alegria, amizade e muita solidariedade”, sublinhou Dalila Salvador que realçou o facto de o montante arrecado ser insuficiente para as despesas de aquisição do aparelho, incluindo o imposto de valor acrescentado (IVA).
“O mais importante é o exercício de boa vontade e compaixão que podemos fazer, enquanto pessoas interessadas em proporcionar o bem para as mulheres com tumores da mama. E quando um almoço em nossa casa rende mais de 400 mil kwanzas, já é motivo de orgulho”, rejubilou Dalila Salvador.
A campanha está aberta a todas as pessoas interessadas em colaborar, podendo contactar a promotora pelo endereço electrónico “salvador.dalila@gmail.com“, na medida em que “o cancro da mama continua a matar...e muito.”
Segundo a fonte do Jornal de Angola, caso se adquira o aparelho, estima-se a realização de cerca de 30 exames diários, embora dependa também da quantidade dos radiologistas, experiência, competência dos técnicos que farão a monitorização dos equipamentos, dos programas e da disponibilidade de energia eléctrica.
A par do angariamento de fundos para a compra do mamógrafo, a Fundação Mulher contra o Cancro da Mama leva a cabo uma outra campanha de recolha de vestuário, calçado usado, bens alimentares e produtos de higiene, que termina no dia 31 deste mês, denominado ‘Outubro Rosa’.

Tempo

Multimédia