Sociedade

Gestora defende aposta na educação financeira

A directora-geral do Centro Internacional de Treino para o Sucesso (ISTC) em Angola, Olga Tchova, defendeu uma aposta mais forte na educação financeira, por ser importante em todas as vertentes da vida, desde os negócios à gestão do lar.

Olga Tchova, directora do Centro Internacional de Treino
Fotografia: vasco Guiwho| Edições Novembro

Em declarações ao Jornal de Angola, Olga Tchova sugeriu aos bancos que, antes de darem crédito, deviam exigir aos requerentes uma formação em educação financeira.
Para Olga Tchova, se a mente for trabalhada, muitos dos créditos malparados podiam ser ultrapassados.
“Imagine que a pessoa recebe cinco milhões de kwanzas para um projecto. Quando está no papel diz ‘vou abrir um salão de beleza, uma barbearia’, mas quando o dinheiro estiver na conta bancária, a situação é outra: 'vou tirar para aquilo, vou tirar para isso”.
“Se o banco não formar a pessoa , pode ser que dez por cento do dinheiro recebido seja perdido, mas com a educação financeira, 40 por cento pode ser aproveitado”, sublinhou.
A funcionar há dois anos, o ISTC iniciou, em Maio deste ano, a ministrar cursos em Educação Financeira e Desenvolvimento Pessoal.
Com sede no Benfica, o ISTC abriu uma filial no bairro Neves Bendinha e outra em Cacuaco, em parceria com o Centro de Formação Profissional Visão Juvenil, para pessoas que aderiram ao programa PAIF, mas que vivem longe. “Queremos que o angolano tenha facilidades no acesso ao conhecimento sobre a educação financeira”, disse Olga Tchova, que informou que o ISTC está a fazer contactos para abrir também uma representação na centralidade do Kilamba, tendo acrescentado que o curso está a ter um bom resultado.
“Muitos estão a dizer que se tivessem conhecimento antes, a vida hoje seria outra”, frisou, para acrescentar: “Nós é que devemos fazer as coisas por Angola para que ela cresça e se torne numa grande Nação”.

Tempo

Multimédia