Sociedade

Hoje é Dia de África

Francisco Pedro

As ilhas Maurícias despertaram mais cedo, em Cabo Verde são os que, tardiamente, com base no fuso horário, vislumbram o sol. Por cá, em Angola, já estamos a 25 de Maio, Dia de África.

Fotografia: DR

O continente "berço da humanidade" não está rodeado, apenas, de problemas. Os africanos têm, também, motivos vários de alegria por terem gerado ilustres figuras que deram à humanidade feitos científicos, e lições de sapiência de referência obrigatória ao nível dos quatro cantos do Mundo. 

A lista pode não ser tão vasta, mas merecedora de referência: O senegalês Cheikh Anta Diop, historiador, antropólogo, físico e político, que estudou as origens da raça humana e cultura africana pré-colonial. Embora, às vezes, Cheik Anta Diop seja referido como afrocêntrico, ele antecede o conceito e, portanto, não era um intelectual afrocêntrico - transcendia África.
Formado na Universidade de Paris, nasceu a 29 de Dezembro de 1923, em Thieytou, Diop morreu a 7 de Fevereiro de 1986, na capital senegalesa, em Dakar.
Em 1951, Diop apresentou a tese de doutoramento na Universidade de Paris, em que defendeu que o Egipto antigo havia sido uma cultura negra, a tese foi rejeitada. Nos nove anos seguintes, trabalhou mais e apresentou provas mais precisas. Em 1960, teve êxito e obteve o doutoramento.
Em 1955, a tese havia sido publicada na imprensa popular, como um livro intitulado "Nations nègres et culture" (Nações negras e cultura). Este trabalho fez dele o historiador mais polémico da sua época.
Em 1974, publicou o livro "The African Origin of Civilization: Myth or Reality" (A origem africana da civilização: mito ou realidade), resultando numa ampla audiência do seu trabalho. Na obra, proclamou que evidências arqueológicas e antropológicas apoiavam a sua posição afrocêntrica de que os faraós eram de origem negra.

Nelson Mandela
Nelson Mandela é a outra ilustre personalidade africana que dispensa apresentação. Foi advogado, e Presidente da África do Sul, entre 1994 e 1999, considerado o mais importante líder do continente africano, vencedor do Prémio Nobel da Paz, 1993, e pai da moderna nação sul-africana, onde é normalmente chamado como Madiba ou "Tata".
Nasceu a 18 de Julho de 1918, em Mvezo, faleceu a 5 de Dezembro de 2013, na cidade de Houghton, em Johanesburgo. Dedicou toda a sua vida, de forma ampla, contra o "Apartheid", regime segregacionista implantado em 1949, na África do Sul.
Nascido numa família de nobreza tribal, numa aldeia do interior onde recusou a ocupar o cargo de chefia, aos 23 anos, e seguiu para a capital, Joanesburgo, onde iniciou a carreira política.
Mandela recebeu mais de 250 prémios e condecorações, incluindo a Medalha Presidencial da Liberdade, dos Estados Unidos, e a Ordem de Lenin, da União Soviética. Tornou-se o político mais galardoado em vida, responsável pela refundação da África do Sul, como uma sociedade multiétnica.

Fazer deste continente uma África maravilhosa para os africanos deve ser motivo de orgulho para todas as sociedades. Avante África!

Tempo

Multimédia