Sociedade

Igreja Católica defende uso responsável das redes sociais

César André

O Núncio Apostólico de Angola e São Tomé e Príncipe, Petar Rajic, considerou ontem, em Luanda, que a Igreja Católica tem pugnado para que o uso da Internet e, consequentemente, das redes sociais seja um lugar de encontro de pessoas e de solidariedade entre todos.

A Igreja considera que as redes sociais são um dos locais mais expostos à desinformação
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

“Sé é verdade que a Internet constitui uma possibilidade extraordinária de acesso ao saber, também é verdade que se revelou como um dos locais mais expostos à desinformação e à distorção consciente e pilotada dos factos e relações interpessoais, ao ponto de muitas vezes cair no descrédito”, disse Petar Rajic.
Falando na apresentação da mensagem do Papa Francisco, por ocasião da quinquagésima terceira Jornada Mundial das Comunicações Sociais, que se celebra no próximo mês de Junho, o Núncio Apostólico disse ser necessário reconhecer que, se por um lado, as redes sociais servem para nos conectarmos melhor, fazendo-nos encontrar e ajudar uns aos outros, por outro, prestam-se também a um uso manipulador dos dados pessoais, visando obter vantagens no plano político ou económico, sem o devido respeito pela pessoa e seus direitos.
Em seu entender, as redes sociais prestam-se também ao uso manipulador de dados pessoais, visando obter vantagens no plano político ou económico, sem o devido respeito pela pessoa e seus direitos.
As estatísticas relativas aos mais jovens revelam que um em cada quatro adolescentes, está envolvido em episódios de cyberbullying. Na complexidade deste cenário, pode ser útil voltar a reflectir sobre a metáfora da rede, colocada inicialmente como fundamento da Internet para ajudar a descobrir as suas potencialidades positivas.
As redes sociais são uma oportunidade para promover o encontro com os outros, mas pode também agravar o auto isolamento, como uma teia de aranha capaz de capturar.
Petar Rajic anunciou ainda que os adolescentes são os que estão mais expostos à ilusão de que a social web possa satisfazê-los completamente a nível relacional, até se chegar ao perigoso fenómeno dos jovens eremitas sociais, que correm o risco de se alhearem totalmente da sociedade.
No contexto de Angola, como em todos os lugares do mundo, disse Petar Rajic, é importante que o uso da rede e os meios de comunicação “nos ajudem assertivamente para que nos aproximemos mais uns aos outros, não só no cyberspace, mas também no contexto do nosso dia-a-dia, um relacionamento baseado na amizade sincera”.
Na mensagem, o Papa Francisco diz que “quando mais coesa e solidária é uma comunidade, quanto mais está animada por sentimentos de confiança e persegue objectivos compartilhados, maior é a sua força”.

Tempo

Multimédia