Sociedade

Igreja denuncia sequestro de seminaristas na Nigéria

A Fundação AIS (Ajuda à Igreja que Sofre) denunciou, ontem, o sequestro de quatro seminaristas católicos na Nigéria, ocorrido na quarta-feira.

Fotografia: Dr

Em comunicado divulgado ontem, a estrutura portuguesa da Fundação AIS dá conta de que "quatro seminaristas católicos foram sequestrados por um grupo armado que atacou o Seminário Maior do Bom Pastor, situado na localidade de Kakau, estado de Kaduna”.
“Estamos em estado de choque e tememos o pior”, disse o padre Kinsley, um dos responsáveis do seminário, citado na nota, adiantando que, “até ao momento”, não houve “qualquer contacto por parte dos sequestradores”.
Segundo a Fundação AIS, “há relatos de que os atacantes, que envergavam camuflados militares, chegaram a fazer disparos”.
O presidente internacional da Fundação AIS, Thomas Heine-Geldern, considerou que “a situação de segurança na Nigéria é catastrófica”. Disse que "gangues criminosos" aproveitam o clima reinante em algumas regiões do país para lançar ataques contra as populações civis.
Segundo o comunicado da fundação, Thomas Heine-Geldern exigiu do Governo da Nigéria a tomada de “medidas urgentes para proteger a vida e a propriedade das pessoas”.
O ataque ocorreu alguns dias depois do assassinato de uma dezena de cristãos por elementos de um grupo “associado ao Estado Islâmico no estado de Borno”, no norte da Nigéria.

Tempo

Multimédia