Sociedade

Igreja quer melhorar as condições das populações

Victória Ferreira

Igreja Metodista Unida de Angola vai apostar na qualidade de ensino, saúde e no relançamento da agricultura, para a melhoria das condições de vida das populações, revelou ontem, em Luanda, o bispo Gaspar João Domingos.

Bispo Gaspar João Domingos pede a expansão da Igreja

O responsável, que falava à margem da 35ª Conferência Anual do Oeste de Angola, que decorre em Luanda até ao dia 19, sob lema “Missão de Deus em uma Igreja auto-sustentada, auto-governada e auto-expansiva”, disse que os assuntos acima referenciados estão a ser reflectidos no encontro.
De acordo com o líder religioso, o certame vai balancear o ano transacto e, ao mesmo tempo, perspectivar o futuro da Igreja, olhando para as políticas que vêm sendo gizadas em prol do plano estratégico da instituição, a implementar a partir de 2020.
Disse, por outro lado, que a Igreja Metodista pretende expandir-se em todos os municípios de Angola e elevar o nível do desenvolvimento social das localidades. “Temos de apostar na educação, saúde e na agricultura, por serem os três factores fundamentais para o desenvolvimento das populações”.
O bispo justificou que sem a educação o país jamais se tornaria independente, sem saúde a pessoa torna-se fraca para enfrentar os desafios e com uma agricultura debilitada o corpo não consegue sobreviver. Acrescentou que “nós firmamos nesse triângulo como instrumento para levar a libertação e a melhoria das condições de vida do nosso povo”.
Para o bispo Gaspar João Domingos, a Igreja Metodista tem uma responsabilidade de Estado, uma vez que não trouxe apenas a religião, mas o movimento que libertou Angola do colonialismo.
“Hoje mais do que nunca temos a obrigação de reformar a nação e de espalhar a santidade bíblica em todos os cantos. Por isso, propusemo-nos irmos para todos os lugares para levar o evangelho”, salientou, para quem a Igreja está preocupada com a relação que tem com o Estado, assim como o bem estar social dos cidadãos.
A conferência conta com a presença 891 delegados provenientes das 348 igrejas de 14 distritos.

Tempo

Multimédia