Sociedade

Igrejas observam medidas de biossegurança

Maximiano Filipe | Benguela

A maior parte das congregações religiosas, na província de Benguela, reabriu os templos, observando as medidas de biossegurança previstas no Decreto Presidencial que instaura a Situação de Calamidade Pública que vigora no país face à pandemia da Covid-19.

Igrejas em Benguela observam as medidas de bio-segurança sobre o Covid-19
Fotografia: DR

Uma ronda efectuada pelo Jornal de Angola, sábado e domingo, permitiu constatar que a maior parte das igrejas sediadas em Benguela abriram as portas às 6 horas.

À entrada dos templos via-se reservatórios de água, sabão, o álcool-gel e álcool etílico para higienização das mãos. Em quase todas as instituições religiosas visitadas eram visíveis, logo à entrada, dísticos orientando os fiéis a usarem máscaras faciais e a cumprirem outras medidas de biossegurança.

Foi igualmente verificado que as igrejas não oferecem capacidade para albergar mais de 200 participantes, os cultos religiosos foram transferidos para o exterior das instalações. O distanciamento foi também visível e bem respeitado, tanto entre os crentes, como nos grupos corais.
Muitas igrejas realizam três a quatro cultos por dia, para evitar muita gente de uma só vez.

O bispo da diocese de Benguela, Dom António Jaka, garante que para os católicos, a toda a acção litúrgica desenvolvida desde a reabertura das igrejas está em conformidade com as orientações baixadas pelo Ministério da Saúde, à luz do Decreto Presidencial sobre a Situação de Calamidade Pública.

O prelado disse ser na base deste conjunto de princípios que os bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé decidiram criar algumas normas sobre a participação nas celebrações e outros actos sagrados, para reduzir o risco de contaminação.

Para a responsável da Igreja Evangélica Congregacional de Angola (IECA) em Benguela, reverenda pastora Ilda Valério, as condições estão criadas para a realização de três cultos por semana. Sublinhou que os cultos estão reservados apenas aos adultos.

O porta-voz do Conselho das Igrejas Cristãs em Angola (CICA), Frederico Pedro, disse que a reabertura dos templos religiosos foi recebida com satisfação por parte dos líderes das igrejas e crentes.

O Jornal de Angola constatou que a Igreja Tocoísta em Benguela, continua encerrada, em função de uma orientação do líder da congregação religiosa, Dom Afonso Nunes, que defende a criação de melhores condições de biossegurança.

Líderes religiosos e efectivos da Polícia Nacional capacitados

Mais de uma centena de pessoas, entre líderes religiosos e agentes da Polícia Nacional em Benguela foi capacitada sobre os métodos de segurança, protecção e higienização, na via pública e em locais de culto, uma acção formativa promovida pelo Gabinete Provincial da Saúde, em parceria com a administração municipal de Benguela, no âmbito do combate à pandemia da Covid-19.

Avelino Longuia, director do Gabinete Provincial de Saúde em exercício, disse que os formandos vão actuar como agentes mobilizadores sobre medidas de prevenção contra a Covid-19 junto das comunidades, tanto nas igrejas como noutros locais de maior aglomeração populacional.

Tempo

Multimédia