Sociedade

INEFOP regista aumento de formandos

Edivaldo cristovão

O Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP) formou, este ano 61.730 cidadãos, contra os 48.448 do ano passado, representando um aumento de 27 por cento, anunciou, na sexta-feira, em Luanda, o ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS).

Aumentou procura dos cursos
Fotografia: Edições Novembro

Ao discursar na cerimónia de encerramento do ciclo formativo 2019, no Centro de Formação Profissional do Cazenga, Jesus Maiato garantiu que os centros tutelados pelo INEFOP registaram, este ano, um aumento de 14 por cento da capacidade formativa, comparativamente a 2018, passando de 772 unidades formativas para 998.
Os centros sob gestão do INEFOP, avançou o ministro, passaram de 144 para 148, os tutelados por outros organismos públicos de 35 para 39 e os privados de 595 para 811.
“Os dados demonstram, claramente, a tendência do aumento da procura dos cursos de formação profissional, que se vão afirmando, cada vez mais, como uma ferramenta estratégica para qualificação da mão-de-obra nacional, assim como uma opção para a inserção rápida no mercado de trabalho”, disse o governante.
Jesus Maiato encorajou os jovens a acreditarem na ferramenta estratégica e as empresas detentoras de centros de formação a intensificarem as acções, sobretudo nos cursos técnicos, por forma a contribuírem na diversificação da economia, com mão-de-obra qualificada.
O ciclo formativo deste ano, aberto na província do Moxico, constitui motivo de orgulho para o titular da pasta do MAPTSS, porque os cidadãos conseguiram atingir as metas estabelecidas e disponíveis para dar o contributo nos mais variados domínios das áreas produtivas da economia do país.
Presente na cerimónia, o governador de Luanda, Sérgio Luther Rescova, disse que a formação profissional tem permitido a inclusão social de várias pessoas que, através dos cursos conseguem adquirir espaço na sociedade, garantindo o contributo para o desenvolvimento do país.
x

Tempo

Multimédia