Iniciativa Maiombe ganha novos membros

Manuela Gomes |
15 de Junho, 2013

Fotografia: Mota Ambrósio

A ministra do Ambiente, Maria de Fátima Jardim, anunciou, ontem, em Luanda, a inclusão de São Tomé e da Guiné Equatorial na Iniciativa Transfronteiriça de Conservação da Floresta do Maiombe.

Fátima Jardim anunciou o facto por ocasião da cerimónia de apresentação do Plano Estratégico da Iniciativa de Conservação da Floresta de Maiombe, que contou com a presença do director regional da União Internacional para Conservação da Natureza (UICN), Aime Joseph Niango.
A ministra referiu que a inclusão de mais países mostra que o projecto tem grande importância para os países membros e para o mundo. Em Junho de 2009 Angola e o Congo Brasaville assinaram um protocolo de entendimento na província de Cabinda, onde estabeleceram os procedimentos para colaboração, criação e gestão sustentável de um mecanismo para protecção dos ecossistemas da floresta do Maiombe.

Florestas tropicais

“Os níveis de degradação das florestas tropicais fizeram com que nos uníssemos a esta iniciativa, que dá garantias de uma protecção eficaz, boa gestão e desejo de desenvolvimento sustentável”, disse a ministra do Ambiente.
 Segundo a ministra Fátima Jardim, este ecossistema está inserido na floresta tropical da bacia do rio Congo e tem uma importância fundamental para o equilíbrio climático, preservação da camada do ozono, da biodiversidade, gestão da seca, desertificação, das calamidades e catástrofes.A floresta tropical do Congo cobre uma vasta área de três países unidos há quatro anos, Angola, Congo Brazavile e Republica Democrática do Congo. É composta pela área do Luque, com 33.811 hectares, a área de Dimunica com 133 mil hectares (inclui também a reserva de Chipoongo com 52.200 hectares” e Cabinda com uma área de 193 mil hectares.
A ministra referiu ainda, que esta iniciativa representa um dos projectos mais importantes na área da conservação e preservação da natureza e para criar zonas de biosfera.
Fátima Jardim referiu que as florestas tropicais são as mais preservadas do mundo “e podem possibilitar a cooperação entre aos Estados, troca de experiências, investigação, conhecimento, melhor protecção da biodiversidade e a criação de áreas transfronteiriças para o desenvolvimento”.
A ministra Fátima Jardim defendeu a conjugação de esforços para conservação do ambiente.
A criação do Plano Estratégico da Iniciativa de Conservação da Floresta do Maiombe é uma diligência de Angola.

capa do dia

Get Adobe Flash player


FALTAM 27 Dias

Saiba Mais

NEWSLETTER

Receba a newsletter do Jornal de Angola no seu e-mail:

SIGA-NOS RSS

MULTIMÉDIA