Sociedade

Instituto “Venâncio de Moura” vai ter Academia Diplomática

Alexa Sonhi

Uma Academia Diplomática vai ser criada pelo Instituto Superior de Relações Internacionais Venâncio de Moura para ministrar cursos de mestrado e doutoramento, informou, ontem, em Luanda, o director-geral da instituição académica, Alfredo Ndombe.

Maria do Rosário Sambo anunciou, para breve, a realização de um concurso público no subsistema de ensino superior
Fotografia: Agostinho Narciso |Edições Novembro

O Instituto Superior de Relações Internacionais apresentou uma proposta para a criação da Academia Diplomática ao Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação.
O assunto foi ontem abordado numa visita que a ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, efectuou ao Instituto Superior de Relações Internacionais, tutelado pelo Ministério das Relações Exteriores.
O director do instituto informou à ministra que a criação da Academia tem como objectivo elevar os níveis de conhecimento dos especialistas em Relações Internacionais e dos quadros do Ministério das Relações Exteriores.
A ministra reconheceu que a proposta da criação da Academia Diplomática é “boa”, daí ter afirmado que “o Instituto tem prorrogativa de fazer  pós-graduações, desde que os passos dados estejam alinhados com as normas” do departamento ministerial, monitorizadas pela Direcção Nacional de Formação Pós-Graduada.
Maria do Rosário Sambo lembrou que a visita ao Instituto Superior de Relações Internacionais está inserida num ciclo de visitas que efectua às instituições académicas públicas do ensino superior, com o objectivo de fazer um levantamento dos reais problemas com que se debatem. A ministra considerou “positiva” a visita ao instituto com o argumento de ter conseguido  perceber”a  grande contribuição que tem vindo a dar ao país”.
Maria do Rosário Sambo garantiu que, com a transferência das instalações do instituto para a Cidade do Kilamba, vão ser melhorados os serviços prestados pela instituição académica.
Na visita, a ministra constatou um défice de docentes e pessoal administrativo, cuja força de trabalho é actualmente integrada por 82 pessoas, o que, no seu entender, “compromete  o bom funcionamento  da instituição de ensino superior”.
Maria do Rosário Sambo anunciou, para breve, a realização de um concurso público no subsistema de ensino superior, uma ocasião para o Instituto Superior de Relações Internacionais beneficiar de mais quadros, para corrigir o défice constatado na visita.

Grau de conhecimento
O director-geral do instituto, Alfredo Ndombe, afirmou que o estabelecimento académico está preparado para ministrar  cursos ligados à diplomacia e que sejam do interesse dos ministérios, para que os departamentos ministeriais melhorem o trabalho.
 Além da licenciatura em Relações Internacionais, o instituto superior ministra também cursos profissionalizantes para técnicos do Ministério das Relações Exteriores. Até hoje, os cursos profissionais já formaram 1.058 pessoas.
Desde a sua fundação, em 1998, o instituto já formou 415 licenciados, dos quais 344 trabalham em gabinetes de Intercâmbio e Cooperação Internacional de empresas públicas e privadas.

Tempo

Multimédia