Sociedade

Investigação avança no país

Nilza Massango |

O Centro de Investigação em Saúde de Angola (CISA) é uma estrutura que oferece dados ao poder político para a tomada de decisões com vista à melhoria da qualidade de vida e Saúde dos angolanos, em particular a população de Caxito, onde o centro funciona e realiza estudos, disse ontem, em Luanda, o ministro da Saúde.

José Van-Dúnem falava na abertura de uma conferência sobre os desafios da investigação em Saúde e referiu que a ampliação do Centro de Investigação em Saúde de Angola, a inclusão de investigadores angolanos no projecto e a procura de respostas às inquietações da Direcção da Saúde e dos profissionais da área são preocupações do Executivo.“O Centro de Investigação em Saúde de Angola pode ser uma constante fonte de respostas", declarou o titular da pasta da Saúde, para quem a necessidade de continuar a estimular jovens  investigadores e a procura de respostas mais pertinentes aos desafios que a Saúde em Angola apresenta fazem do Centro de Investigação em Saúde de Angola uma estrutura com uma perspectiva de sucesso.
Na abertura da conferência sobre os desafios da investigação em Saúde esteve o embaixador de Portugal em Angola, João da Câmara, que reconheceu a importância da investigação na área da Saúde para qualquer país. Em sua opinião,  os projectos em discussão são um  instrumento importante na relação entre Angola e Portugal, como é o caso do Centro de Investigação em Saúde de Angola.
Isabel Mota, da Fundação Calouste Gulbenkian, instituição parceira do projecto Centro de Investigação em Saúde de Angola, disse que a consolidação do centro de investigação em Saúde é grande desafio que exige uma visão de longo prazo, perseverança e um investimento no capital humano.
“Fomentar o conhecimento no âmbito da investigação biomédica, promover redes e parcerias entre investigadores angolanos com internacionais, são dos principais objectivos que tem pautado a parceria do Centro de Investigação em Saúde de Angola e o envolvimento da cooperação portuguesa e da fundação Gulbenkian”, referiu Isabel Mota.
A conferência sobre os desafios da investigação em Saúde foi precedida de um seminário de dois dias, na cidade de Caxito, que promoveu uma discussão entre investigadores do Centro de Investigação em Saúde de Angola (CISA), o Centro de Investigação em Saúde de Manhiça, em Moçambique, e especialistas internacionais.

Tempo

Multimédia