Sociedade

Jovens deixam o crime e abraçam a formação

André da Costa

Mais de 50 jovens que integravam vários grupos de delinquentes, que cometiam acções criminosas como rixas, furtos e roubos no município de Viana, em Luanda, vão beneficiar de cursos profissionais, para poderem criar micro e pequenas empresas.

Antigos deliquentes em trabalho positivo
Fotografia: DR

O projecto que visa a formação de jovens para os incentivar a abandonar o mundo do crime foi apresentado on-tem, no bairro Kapalanga, pelo comandante municipal da Polícia Nacional, subcomissário Gabriel Capusso.

Aos jovens que acorreram ao pátio do Comando Municipal de Viana da Polícia Nacional foram dados conselhos no sentido de aproveitarem a oportunidade, para, depois da formação, terem apoio do empresariado, para melhorarem a qualidade de vida.

Gabriel Capusso entende que não se pode falar do abandono do crime sem ocupar os jovens com actividades socioprofissionais.

O empresário Dimitri Paulo, presidente da Associação de Mini Mercados de Luanda, mostrou-se disponível para apoiar o projecto, dando formação a jovens, no seu estabelecimento, a custo zero.

"Ti Chou", outro empresário, também mostrou interesse em ajudar os jovens a se reinserirem na sociedade, com formação profissional que lhe ajude a empreender e sustentar a família.

Manuel Bessa, director do Departamento da Juventude da Administração Municipal de Viana, mostrou-se satisfeito com a iniciativa da Polícia e garantiu apoio ao projecto.

António Pedro e Adriano Domingos, ambos com 18 anos, foram unânimes em afirmar que, com a formação profissional, o mundo do crime será esquecido com mais facilidade.

Vários cursos como os de mecânica, carpintaria, electricidade, empreendedorismo e pastelaria vão ser postos à disposição dos jovens, que se dedicavam ao crime na zona do Kapalanga.

Tempo

Multimédia