Sociedade

Jovens ex-toxicodependentes atingem a formação superior

Roque Silva

Um grupo de dez jovens conseguiu vencer a batalha da formação superior e 20 estão inseridos no mercado de trabalho, após terem passado boa parte da infância ou adolescência no centro de acolhimento de crianças abandonadas e de rapazes toxicodependentes “El-Betel”, no Zango 2, município de Viana.

Centro “El Betel” do Zango recebeu ontem vários bens
Fotografia: Dr

Os jovens licenciados têm formação em áreas diversas. Já os que encontraram trabalho dão o contributo em várias áreas. A maioria está em empresas ou instituições públicas, como o Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros.

Dois outros, também residentes do lar, de 18 e 17 anos, integram o curso de mecânica do Centro de Formação da empresa TDA, numa iniciativa da concessionária de automóveis do grupo Teixeira Duarte.
O director do centro de acolhimento, Adérito Nunda, que revelou as informações, disse que outros três internos do lar são pastores consagrados de uma congregação religiosa e trabalham directamente com jovens e crianças do mesmo centro que os consagrou.
O Jornal de Angola constatou, ontem, essas histórias de vitórias de jovens, antigas crianças e adolescentes abandonados e toxicodependentes, durante uma actividade de doação de bens de primeira necessidade, promovida pela Associação Solidária e Filantrópica Amigos do Tio Paulo.
Quanto à doação, o director afirma que vai minimizar carências do centro. O lar passa por várias dificuldades para alimentar as 120 crianças abandonadas, adolescentes e jovens toxicodependentes. Adérito Nunda disse que a instituição precisa, também, com urgência, de camas e colchões, daí o apelo à sociedade e a empresários.
Dorivaldo Paulo Damião, presidente da Associação Solidária e Filantrópica Amigos do Tio Paulo, prometeu continuar a ajudar o centro El-Betel, começando pela oferta de materiais de construção para ampliar o número de salas de aula.

Tempo

Multimédia