Sociedade

Jovens fazem da Ponte do Kambamba uma portagem improvisada

Mazarino da Cunha

Um grupo de mais de 10 jovens transformou a ponte do Kambamba, que liga o Distrito Urbano da Maianga ao município do Kilamba Kiaxi, em Luanda, numa portagem informal, apurou hoje o Jornal de Angola, no local.

Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

A portagem improvisada foi criada na semana passada, depois que os jovens uniram as duas margens, com paus e terra vermelha, permitindo a cobrança aos proprietários de viaturas e pedestres que por aí passam.

De acordo com a explicação do jovem Luciano Paulo, um dos cobradores do “imposto”, na zona do Distrito Urbano da Maianga, o dinheiro cobrado serve de incentivo para os jovens que “arduamente” fizeram o entulho que permitiu a união das duas localidades.
O trabalho dos jovens, frisou Luciano Paulo, está a facilitar a circulação de viaturas e de pessoas, em condições seguras, facto que há um mês não era possível. No entender do jovem, o trabalho feito “é uma forma de ajudar os vendedores do mercado Catinton, especialmente as mamãs”.
“A viatura paga 100 Kwanzas e os peões pagam em função da sua possibilidade financeira”, esclareceu o responsável pela cobrança, na zona do Distrito Urbano da Maianga.
Jesus Xavier, morador, há mais de 20 anos, de uma zona próxima à ponte do Kambamba, elogiou o trabalho feito pelos jovens, mas lamenta o silêncio por parte das autoridades administrativas, no que diz respeito à reabilitação das duas pontes.
O munícipe disse que a situação da ponte só chegou ao ponto de os jovens transformarem-na em uma portagem informal porque, as administrações, das duas localidades, não estão interessadas em resolver o assunto. “Nós vivemos uma profunda miséria, com amontoados de lixo em quase toda a extensão das margens do rio Kambamba”, desabafou o morador do bairro Gamek, distrito urbano da Maianga.

Tempo

Multimédia