Sociedade

Jovens agradecem muito à formação profissional

Manuel Albano

Jovens que frequentam cursos técnicos no Centro de Formação Profissional do Cassequel, município da Maianga, em Luanda, afirmaram, à Angop, que estão gratos ao Governo por ter criado pavilhões de artes e ofícios, pois, salientaram, “contribuem para a valorização do capital humano e para a melhoria das condições de vida das famílias”.

Jovens que frequentam cursos técnicos
A guerra afectou infra-estruturas, mas não abalou a combatitividade dos jovens
Fotografia: Jornal de Angola

Jovens que frequentam cursos técnicos no Centro de Formação Profissional do Cassequel, município da Maianga, em Luanda, afirmaram, à Angop, que estão gratos ao Governo por ter criado pavilhões de artes e ofícios, pois, salientaram, “contribuem para a valorização do capital humano e para a melhoria das condições de vida das famílias”.
Damião Domingos, morador do bairro da Terra Vermelha, que aprende a ser pedreiro, diz-se satisfeito, porque tem “adquirido conhecimentos” que lhe “vão permitir garantir o auto emprego”.
Um país em crescimento, frisou, “deve apostar na formação técnica da juventude, que é o garante do futuro”.
Gilberto Correia, 22 anos, considerou “vantajosos os cursos técnicos dos centros”, pois “garantem, além da formação, emprego”. O jovem afirmou, que após a conclusão da formação vai ser “admitido numa das empresas do ramo de electricidade auto”.
Patrícia Viera, 24 anos, tem “noções básicas de corte e costura” e até faz “trabalhos para vizinhos”, mas frequenta o curso para “aperfeiçoar os conhecimentos”.
O pavilhão de artes e ofícios do Cassequel tem capacidade, para formar 300 pessoas por semestre, nas áreas de informática, canalização, alvenaria, electricidade auto e corte e costura.
O município da Maianga conta com dois estabelecimento do género.  A Maianga tem cerca de 850 mil habitantes distribuídos pelas comunas da Maianga, Cassequel, Prenda e Rocha Pinto.

Tempo

Multimédia