Sociedade

Jovens são solicitados a lutar contra as drogas

Dionísio David | Ondjiva

O vigário da Diocese de Ondjiva, no Cunene, Leopoldo Ndakalako, apelou ontem aos jovens para optarem por um comportamento “mais digno” e evitarem o uso excessivo de bebidas alcoólicas, “que tanto prejudicam o progresso dos jovens e o desenvolvimento do país.”

Moradores da capital do Cunene vivenciam problemas similares aos de outras do país
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

O prelado, que falava durante uma homilia na capela Santo António, no bairro Naipalala II, disse estar muito preocupado perante tipos de comportamento “cada vez mais indecorosos” por parte dos jovens.
Salientou que o uso abusivo do álcool e as relações sexuais “menos planeadas e inseguras” são acções irreflectidas que resultam em doenças transmissíveis, situação que deve merecer especial atenção dos pais, dos encarregados de educação e  da sociedade civil.
Para se pôr cobro a este tipo de comportamento, o vigário da Diocese de Ondjiva defendeu a promoção de programas locais virados para o resgate dos valores morais e cívicos, em que os pais e encarregados de educação, os catequistas e os activistas juvenis tenham um papel determinante, além do necessário envolvimento das igrejas e de outros parceiros da sociedade civil. Considera o diálogo com a juventude condição fundamental para a sua educação plena, incutindo nela valores baseados na observância das tradições, costumes e cultura dos povos da região e do país, em geral.
Disse que, para se acabar com as práticas negativas em que alguns jovens continuam envolvidos, é importante que se continue a promover políticas juvenis viradas para o empreendedorismo e o auto-emprego.
Na sua opinião, ao invés de o Governo “continuar a dar residências”, isto no âmbito da política juvenil do Estado, o ideal seria proporcionar aos jovens terreno e apoios financeiros para que façam auto-construção dirigida, “de modo a evitar que continuem a dormir à sombra da bananeira e sem mais preocupações.” Defendeu que os jovens devem lutar pelas  suas próprias condições de vida.

Tempo

Multimédia