Sociedade

Luanda e Benguela são as províncias com mais mortes de Covid-19

Xavier António

A Covid-19 vitimou, nas últimas 24 horas, mais sete pessoas, das quais três homens e quatro mulheres, sendo quatro na província de Luanda, dois em Benguela e um no Cuanza-Sul, com idades entre 52 e 85 anos e sobe para 241 óbitos até à data.

Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Segundo informou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, as vítimas mortais tinham outras patologias como a hipertensão arterial e diabetes mellitus. Luanda é a região com mais mortes (211), seguindo-se a de Benguela com (10).

Ainda no que toca à distribuição de mortes de Covid-19 no país, seguem-se a Huíla com (9 óbitos), Bengo (2), Huambo (2), CuandoCubango (2), Cuanza-Sul (2), Cabinda (1) Cuanza-Norte (1) e Uíge (1).

Covid-19 ganha terreno

Durante a sessão de actualização dos dados da pandemia, Franco Mufinda referiu ser fundamental que as pessoas procurem mais cedo as unidades de saúde, afim de se evitar mais mortes. “O vírus perigoso e invisível ganha cada vez mais terreno e tem causado muitos casos e óbitos”, disse.

O Sars-CoV-2, continuou, não escolhe cor da pele, classe social, ideologia religiosa ou filiação partidária. Acrescentou que se está perante um inimigo democrático que não espera convite, daí a necessidade do acatamento das medidas de prevenção.

Franco Mufinda apelou ainda para o reforço do uso correcto da máscara, lavagem das mãos com água e sabão, evitar aglomerações populacionais, assim como a observância das medidas contidas no Decreto sobre a Situação de Calamidade Pública.

240 novas infecções

No mesmo período, foram diagnosticadas mais 240 novas infecções de Covid-19, das quais 199 em Luanda, 21 em Benguela, oito no Zaire e igual número no Cunene, um no Huambo, Bengo, Malanje e Cuanza-Norte com igual número.


Dos casos positivos, de acordo com o governante, 123 são homens e 117 mulheres, com idades compreendidas entre um mês e 84 anos. Agora, o país contabiliza 7.462 infecções, desde 21 de Março último.

Ainda ontem, de acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública, dez pessoas foram recuperadas, todas residentes em Luanda, com idades entre 14 e 73 anos e o total passa para 3.022 pessoas livres da doença até à data.

Nas últimas 24 horas, foi registado um total de 4.199 casos activos, sendo 12 em estado crítico (0,3%), 20 em estado grave (0,5%), 103 moderados (2,5%), 412 leves (9,8%) e 3.652 assintomáticos (87,0%).

Os laboratórios processaram 2.324 amostras por RT-PCR, sendo 240 positivas e 2.084 negativas, com uma taxa de positividade de 10,3%. O cumulativo de amostras processadas por RT-PCR é de 131.151 e 7.462 positivas, cuja taxa de positividade de é de 5,7%.

Altas de quarentena institucional, nas últimas 24 horas, foram 13, das quais oito no Bié e cinco em Benguela. A Equipa de Saúde Mental e Intervenção Psicossocial assistiu 240 pessoas (101 utentes e 139 técnicos de saúde), 18 famílias dos utentes e 40 pessoas através da Linha de Apoio Psicológico.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 144 chamadas, das quais uma denúncia de violação de Estado de Calamidade e 143 foram pedidos de informação sobre a Covid-19.

Testes são cobrados

A partir de amanhã, os testes de Covid-19 no sector público para as viagens a título individual e para as pessoas que pretendem saber do seu estado serológico passam a ser pagos mediante uma comparticipação.

Os testes rápidos e de Elisa para as viagens domésticas devem ser realizados nas clínicas Sagrada Esperança, Girassol, Multiperfil, Luanda Medical Center, Mediag, Cligest, Centralab e Sidile.

Já os testes para as viagens internacionais por Biologia Molecular, além do sector público, podem ser feitos nos laboratórios das clínicas Girassol Sagrada Esperança, Multiperfil e Luanda Medical Center.

Tempo

Multimédia