Sociedade

Luanda regista oito mortes por acidentes de viação

André da Costa

Oito pessoas morreram e 16 outras ficaram feridos, em consequência de 22 acidentes de viação ocorridos no último fim-de-semana na província de Luanda.

Fotografia: DR

De acordo com o inspector Euler Matari, do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional, os acidentes ocorreram em vários municípios e distritos urbanos da cidade capital. 

Euler Matari explicou que os acidentes ocorreram por desrespeito às normas do Código de Estrada, com realce para o excesso de velocidade e embate contra obstáculo fixo. Disse que dos danos materiais resultantes dos acidentes estão avaliados em mais de quatro milhões de kwanzas
Neste período, a Polícia Nacional aplicou 78 multas e procedeu a apreensão de quatro viaturas de marcas e de modelos diferentes, e 19 motorizadas por várias infracções ao Código de Estrada.
A Policia Nacional deteve 224 cidadãos suspeitos de cometerem crimes diversos, desde assaltos à mão armada, ofensas corporais, usando armas de fogo e objectos cortantes. Entre os 224 detidos, constam 11 cidadãos que foram apanhados a circular com armas de fogo do tipo AKM.
A corporação, segundo Euler Matari, deteve ainda quatro cidadão por desacato aos agentes da autoridade, sendo que os mesmos foram enviados ao tribunal para julgamento sumário, recordando que foram recuperadas duas viaturas de marca Toyota, modelo Corolla, de cor preta, antes roubadas em Luanda.
Durante o fim-de-semana, a corporação aprendeu das mãos dos marginais facas, catanas, pedras, usadas em crimes na via pública.
O responsável do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional, Euler Matari, informou que o Serviço de Emergência Policial registou 278 solicitações que mereceram uma pronta intervenção das forças policiais.
Para prevenir eventuais situações que lesam a sociedade, o oficial da corporação solicitou aos cidadãos a denunciarem às autoridades competentes casos criminais ou actos que alteram a ordem pública.
Desaconselhou, por outro lado, a população a fazer justiça por mãos próprias, de modo a evitar que passem de vítima a acusados e sejam responsabilizados criminalmente. "Os cidadãos evitem a reagir em caso de roubo ou furto dos seus pertences, pois deverão somente fixar os traços característicos do meliante e denunciar na esquadra ou posto policial mais próximo".

Tempo

Multimédia