Sociedade

Luz de Yeshua entregue às trevas de Lúcifer

Paris é, desde há muito, designada “a cidade luz”, contrariamente a Luanda, que pode vir a notabilizar-se como “a capital das trevas”, tal a ausência de iluminação púbica que a caracteriza e, naturalmente, a torna perigosa.

A nossa capital, mal o sol se põe, é um manto de escuridão pintalgado pelas luzes dos anúncios luminosos, faróis de automóveis e pouco mais. A pública é mais rara do que roupa nova em corpo de pobre. Os candeeiros nas artérias são, na maioria das vezes, meros objectos de decoração. Que tanto estão acesos um dia ou dois, como apagados uma eternidade de tempo.

Tempo

Multimédia