Sociedade

Mais angolanos formados no Marrocos

A Agência Marroquina de Cooperação Internacional (AMCI) está na origem da formação, desde 1990, de 200 estudantes angolanos em universidades marroquinas, informou, em Rabat, o director-geral da instituição.

Fotografia: DR


Mohamed Methqal, que recebeu, há dias, um grupo de jornalistas angolanos, que cumpriu uma visita de estudo a Marrocos, a convite do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação marroquino, informou que, anualmente, 25 angolanos beneficiam de bolsas de estudo, um número que pode aumentar, no contexto da cooperação bilateral.
Este ano estiveram matriculados 100 estudantes, distribuídos por várias universidades marroquinas, disse Mohamed Methqal, que reconheceu ter o encontro, realizado em Abidjan, em 2017, entre o Rei Mohammed VI e o Presidente João Lourenço, dado um novo impulso às relações bilaterais.
A AMCI recebeu este ano 13 mil estudantes, 11 mil dos quais oriundos de 46 países africanos. Para a integração de novos bolseiros, a AMCI dispõe de um Centro Internacional de Língua, que dá formação com duração de seis a oito meses.
Em 2017, o Centro Internacional de Língua recebeu 622 alunos, a maioria dos quais de países africanos lusófonos e anglófonos. A AMCI tem ainda 20 programas de formação, para capacitar estagiários nas áreas da Diplomacia, Alfândega, Justiça, Água, Electricidade, Agricultura e Ambiente.
A Agência Marroquina de Cooperação Internacional foi criada em 1986 e, até hoje, já formou 25 mil graduados de 47 países africanos, sendo 13 mil em Ciências Jurídicas, Económicas, Humanas e Sociais, 10 mil engenheiros, cientistas, especialistas e técnicos e dois mil médicos de clínica geral, especialistas e outros profissionais de saúde.

Tempo

Multimédia