Sociedade

Mais de três milhões de pessoas alfabetizadas

Alexa Sonhi

Um total 3.615.414 cidadãos foram alfabetizados em todo o país, nos últimos cinco anos, o que permitiu baixar, até 2017, a taxa de analfabetos, de 33 para 29 por cento da população em pessoas maiores de 15 anos, deu a conhecer a vice-presidente da Fundação Eduardo dos Santos.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

Maria Nelumba  que falava, ontem, em Luanda, na cerimónia de recepção de material didáctico doado pela Embaixada da China, agradeceu o gesto e disse que a alfabetização é uma componente da cultura de paz.
Pelo facto de a juventude ser a franja da sociedade onde o analfabetismo ainda prevalece, a vice-presidente da FESA disse ser necessário conjugar esforços para que mais jovens possam ser alfabetizados, para ajudar o país a se desenvolver.
A vice-presidente da FESA, disse que os materiais para alfabetização doados pela Embaixada da China, têm sido de forma racional distribuídos a nível das províncias, num esforço conjugado com o Ministério da Educação.
A Embaixada da República Popular da China doou, ontem, à Fundação Eduardo dos Santos (FESA) um lote de material didáctico para apoiar o programa de alfabetização que esta instituição filantrópica leva a cabo, há seis anos, em todo o país.
Do material doado, constam 150 caixas de quadros brancos, 67 de caderno, quatro de canetas, cinco de relógios de parede, três de borracha, duas de apagador, duas de esferográficas, duas de lápis e uma com canetas marcadores. O embaixador da China em Angola, Cui Aimin, que procedeu à entrega do donativo, disse tratar-se do quinto ano consecutivo que o Governo do seu país faz doações à Fundação Eduardo dos Santos, avaliadas em 150 mil dólares americano.
Cui Aimin salientou que as doações têm sido entregues à FESA e esta, por sua vez, faz a distribuição para mais de 30 escolas e Organizações Não Governamentais das 18 províncias, beneficiando mais de 100 mil angolanos.
O diplomata chinês frisou que actividades do género vão continuar a ser desenvolvidas, porque  o processo de alfabetização pode mudar o destino das populações alfabetizadas, ajuda a elevar o nível educativo das pessoas e promove a prosperidade do país.
A cerimónia de entrega do material de alfabetização contou com a presença de curados da FESA, altos funcionários da embaixada da China e membros do Ministério da Educação.

Tempo

Multimédia