Sociedade

Mediateca de Ondjiva já em funcionamento

Elautério Silipuleni | Ondjiva

A Mediateca António Didalelwa, com capacidade para 2.000 utilizadores diários e um auditório com 123 lugares, foi inaugurada sexta-feira, na cidade de Ondjiva, capital do Cunene, pelo ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha.

Rede pública de mediatecas acessível aos jovens do Cunene
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

A infraestrutura ocupa uma área de 2.250 metros quadrados e foi montada em 13 meses. Conta com 74 pontos de rede, áreas técnica e de lazer, zona multimédia, espaço para fruição audiovisual, área infanto-juvenil e biblioteca. O nome da instituição é uma homenagem ao malogrado professor doutor António Didalelwa, que durante oito anos governou a província.
O ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação afirmou que a Rede de Mediatecas de Angola é um projecto ambicioso que orgulha o país e os angolanos. “As mediatecas são ferramentas muito valiosas para o desenvolvimento do país”, sublinhou.
De acordo com ele, a Mediateca de Ondjiva é um espaço em que os cidadãos, principalmente os jovens,  acederão ao conhecimento, é um “shopping do conhecimento”, que permite a todos, sem restrição, o acesso à informação, com a utilização dos mais diversos suportes. Além de livros, a infra-estrutura dispõe de mais de cinco mil jornais para leitura através da ferramenta World Press.
O governador Kundi Paihama considerou “incomensurável” o objecto social da mediateca e pediu diálogo e compreensão entre os funcionários.
Foram também inaugurados os edifícios da Casa da Cultura e da Delegação do Ministério do Interior, construídos de raiz no âmbito do Programa de Investimentos Públicos.


Tempo

Multimédia