Sociedade

Ministra anuncia plano de restauro de Montipa

João Upale | Moçâmedes

O ponto turístico da Montipa, 169 quilómetros a norte de Moçâmedes, Namibe, está no centro de uma decisão do Governo, assente na recuperação total das infra-estruturas e possível implementação de novos projectos, com vista a atrair turistas nacionais e internacionais, garantiu a titular do pelouro.

Fotografia: DR

A ministra do Turismo, Ângela Bragança, que visitou terça-feira o local depois de uma viagem de comboio, dos Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes, do Lubango à Bibala, lamentou o mau estado de conservação das instalações e o mau aproveitamento daquele que é considerado um dos principais pontos de atracção turística da província do Namibe.
Ângela Bragança considerou a região importante para o turismo medicinal, apontando para a necessidade da recuperação da nascente, zona da piscina e arredores da Montipa, localizada a 18 quilómetros da vila da Bibala, o local mais limpo em todos os aspectos, com outro tipo de infra-estrutura e a servir, sobretudo, o objectivo de uma estação termal.
Quanto à viagem realizada de comboio, Ângela Bragança constatou que, no trajecto inicial, logo depois do Lubango, há muito lixo, mas que depois da Estação da Mapunda (nos arredores daquela cidade) é “surpreendente”, considerando haver todas as condições para ser “uma viagem muito boa.”
A ministra frisou que, no que toca às estradas, outro elo de ligação, o pelouro tem estado a dialogar e a articular acções com o Ministério da Construção e Obras Públicas, que integra a Comissão Multissectorial do Turismo, para o estabelecimento de um processo de reabilitação e expansão, lembrando como prova disso que, recentemente, foi aprovado o Plano de Director do Pólo Turístico de Cabo Lebo, onde a base principal é a infra-estrutura.

Reposição de estradas
Neste sentido, adiantou, há uma orientação do Governo para se trabalhar na infra-estruturação do pólo, mas o Ministério do Turismo não deixa de fazer outras acções, embora, neste momento, as prioridades do financiamento público ainda recaiam com preponderância sobre os sectores da Educação e da Saúde.
“Angola é muito pouco conhecida do ponto de vista do turismo pelo exterior, mas, nos tempos que correm, já começa a haver muita informação nos canais internacionais. Agora, temos de criar as bases para receber, atrair, interessar e sobretudo fazer com que os turistas venham e tragam mais visitantes”, afirmou a ministra.
A directora do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos do Namibe, Amélia Camunheira, realçou a importância da visita da ministra ao Montipa, referindo que o convite formulado à titular da pasta para conhecer este ponto turístico da província e particularmente do município da Bibala foi intencional, pela percepção de que é possível impulsionar a criação de parcerias para melhorar e recuperar os activos disponíveis.
Apesar do estado de degradação, a Montipa não parou de receber visitantes, os quais partilha com o Parque Nacional do Iona, as praias do Namibe e outros atractivos locais.

Tempo

Multimédia