Sociedade

Ministra da Família faz apelo para reflexão sobre violência

Casimiro José| Sumbe

A ministra da Família e Promoção da Mulher, Genoveva Lino, apelou, ontem, no Sumbe, Kwanza-Sul, a uma reflexão, de forma séria e sem tabús, sobre o fenómeno da desagregação social das famílias.

 

A ministra da Família e Promoção da Mulher, Genoveva Lino, apelou, ontem, no Sumbe, Kwanza-Sul, a uma reflexão, de forma séria e sem tabús, sobre o fenómeno da desagregação social das famílias.
Genoveva Lino, que falava durante um encontro com efectivos da Polícia Nacional, Forças Armadas Angolanas (FAA) e directores de diferentes instituições do Estado, no termo da visita de 72 horas que fez à província, referiu, que a “imoralidade atingiu grandes proporções no país, constituindo uma grave ameaça à sociedade”.
No encontro, que serviu para o lançamento da campanha sobre o resgate de valores morais e cívicos na província, participaram, também, membros de igrejas que estão no Sumbe, representantes da sociedade civil e autoridades tradicionais.
A ministra afirmou, que os constantes relatos de casos de violência doméstica e sexual de menores exige a “tomada de medidas enérgicas da sociedade e das instituições” para “desencorajar essas práticas”.
Genoveva Lino convidou, as universidades a juntarem-se aos esforços, tendentes a diminuir o índice de violência nos lares e nas famílias, através de identificação de casos, debates, conferências e palestras. A titular da pasta da Família e Promoção da Mulher disse, que, a par das universidades, as igrejas, na qualidade de parceiras privilegiadas do Governo, são, igualmente, chamadas a exercer a sua influência, visando o combate ao fenómeno.
A ministra apelou à resolução de conflitos familiares, através do diálogo, acrescentando, que a “campanha sobre o resgate de valores morais e cívicos, tem por finalidade congregar esforços no combate à anarquia e falta de auto estima, um fenómeno que se regista por quase todo o país”.
A próxima visita da ministra, com o mesmo objectivo, é às províncias do Moxico e Kuando-Kubango.

Tempo

Multimédia