Sociedade

Moradores de Luanda denunciam mau atendimento nas administrações municipais e distritais

Edna Mussalo

Segurança pública, falta de iluminação, água e luz, venda ilegal de terrenos, problemas de estradas, saúde, educação, altos preços da cesta básica e transportes públicos, fazem parte das principais preocupações das comunidades da província de Luanda, apresentadas por representantes de mais de 50 comissões de moradores, num encontro com o governador Sérgio Rescova.

Fotografia: DR

Os interlocutores denunciaram também as burlas nos projectos imobiliários, ausência de espaços de lazer, construções anárquicas e mau atendimento nas administrações municipais e distritais, bem como a necessidade de o Estado financiar as comissões de moradores, entre outros assuntos.
O encontro, realizado na tarde de quinta-feira, serviu para uma abordagem sobre o Regulamento da Lei Orgânica do Funcionamento das Comissões de Moradores, um tema desenvolvido por Vadim João, director Nacional do Poder Local do Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado.
O comandante provincial de Luanda da Polícia Nacional, comissário Eduardo Cerqueira, fez breves considerações sobre a segurança na capital, enquanto que o Presidente do Conselho de Administração (PCA) da Epal, esclareceu as preocupações levantadas pelos munícipes relativas à falta de água, garimpo de água e ligações domiciliares.
Sérgio Rescova reiterou que o Governo Provincial de Luanda está consciente de que sem o engajamento das comissões de moradores será impossível resolver os problemas da capital.
“São as comissões de moradores que devem ter um papel mais actuante e auxiliar o Governo, elas não devem continuar a assistir as construções desordenadas nas linhas de água, venda ilegal de terrenos, vandalização de bens públicos, a postura inadequada dos prestadores de serviços nas administrações”, referiu.
Sérgio Rescova assegurou que em breve vai ser implementado em Luanda um programa de terraplanagem e iluminação pública, assim como os trabalhos de desassoreamento, reperfilamento e limpeza das valas de drenagem, campanhas de limpeza, plantações e embelezamento, referindo, também, que as denúncias públicas são para multiplicar.

Tempo

Multimédia