Sociedade

Motoqueiros na origem de inúmeros acidentes

André Brandão | Ndalatando

Pelo menos 88 pessoas morreram e 388 outras ficaram feridas como consequência de 238 acidentes de viação, ocorridos de Janeiro a Setembro do corrente ano, na província do Cuanza-Norte, deu a conhecer sexta-feira, em Ndalatando, fonte da Polícia Nacional.

A maior parte dos acidentes na região envolve motociclistas
Fotografia: Nilo Mateus |Edições Novembro | Ndalatando

De acordo com o director provincial de Viação e Trânsito, superintendente José da Silva Neto, do número total de acidentes na região, 87 envolveram motoqueiros, com 16 mortos.

O superintendente José da Silva Neto, que falava num encontro de esclarecimento com as associações de moto-taxistas, confirmou que, dos acidentes em causa, 126 aconteceram no município de Cazengo, causando 25 mortes e 139 feridos, por excesso de velocidade.
Acrescentou que os moto-taxistas que circulam na cidade de Ndalatando têm transgredido as regras do Código de Estrada e outras legislações complementares, conduzindo sem iluminação à noite, sob efeito de álcool e outras substâncias entorpecentes, sem capacetes, transporte de cargas, excesso de velocidade e embaraço constante ao trânsito.
José da Silva Neto revelou que, para travar tais situações, a Polícia de Trânsito tem vindo a realizar trabalhos preventivos de consciencialização dos motoqueiros e moto-taxistas, para pautarem por condutas que ajudem a melhorar a mobilidade rodoviária na região.
A corporação vai punir os agentes reguladores de trânsito que efectuarem cobranças de multas não estabelecidas por lei ou por prática de extorsão dos automobilistas e moto-taxistas, com a famosa “gasosa.”
Informou que a Direcção Provincial de Viação e Trânsito está em estreita colaboração com a Administração Municipal de Cazengo, para rever todos os documentos que deram entrada para o tratamento de licença da actividade de moto-táxi, a fim de serem entregues aos proprietários o mais depressa possível.
O presidente da Associação dos Motoqueiros do Cuanza-Norte, Luís Frederico, não descartou a possibilidade de os filiados serem os maiores causadores de acidentes e desordem do trânsito na província do Cuanza-Norte, em função do elevado número de motorizadas que circulam em Ndalatando.
Revelou que nesta fase está em curso a reorganização da classe, com o objectivo de contribuir para a luta contra a sinistralidade rodoviária, promovendo paz e tranquilidade nas estradas do Cuanza-Norte. Estão registados 1.572 motoqueiros em toda a província.

Tempo

Multimédia